fbpx
23/01/2020

Uma experiência da educomunicação em saúde e meio ambiente     

 Por: Maria de Fátima Monteiro

O presente artigo apresenta a inter-relação entre a comunicação e a educação a partir dos temas transversais Saúde e o Meio Ambiente, que foram trabalhados no projeto de extensão da Universidade de Pernambuco/Campus Garanhuns.

O projeto teve como objetivo divulgar textos, de temas transversais, produzidos por alunos da escola de Aplicação Ivonita Alves Guerra, através de diversos canais de comunicação, tendo como eixo de pesquisa o perfil eco-epidemiológico da região Agreste Meridional de Pernambuco.

No primeiro momento, ocorreu a pesquisa, nos quinze municípios, onde os alunos apontaram os principais problemas, como falta de: saneamento, médicos, emprego, coleta do lixo e desmatamento.

A solução dos problemas foi baseada na melhoria do saneamento, contratação de médicos, educação da população e leis de fiscalização. Os textos educomunicativos (vídeos, rádio, história em quadrinho, música, entrevistas, poesias, etc.) foram divulgados durante a feira de ciências utilizando os temas: terra, ar, água e fogo.

No segundo momento, surgiu a proposta, de divulgação dos textos através de conteúdos interdisplinares, pela Rádio/UPE/Web. Neste sentido, houve um processo reflexivo na ação motivado pela descoberta de novos conhecimentos, onde a Educomunicação, em sua diversidade, permitiu que os alunos utilizassem a comunicação corporal, falada, televisionada e escrita.

Educomunicação é “Um campo de implementação de políticas de comunicação educativa, tendo como objetivo geral o planejamento, a criação e o desenvolvimento de ecossistemas educativos mediados por processos de comunicação e pelo uso das tecnologias”.  (SOARES, 2001, p. 2)

Notícias em ritmo de poesia:

“Eu vou contar pra vocês como é a água aqui: A água tá poluída, oh! Meu Deus, que água ruim!… E, agora, eu vou dizer o que temos que fazer para não viver assim: – Se a gente poluir, Garanhuns não vai mudar, a gente vai morrer sem água e sem ar, depois vai ser mesmo que a gente se matar, poluição não dá certo é melhor mudar!”. (6ª. Série)

Informação  em ritmo de Música:

“O Fogo aquece, mas também queima. Como vamos saber o que ele representa? Bem ou Mal ele pode fazer… Qual a diferença entre o morrer e o viver? Suas utilidades nos beneficiam, mas somos nós os responsáveis pelo mal que ele nos cria? Seja você mesmo e combata esse inimigo. Desse modo, o nosso mundo vai estar agradecido…” (8ª. Série)

Considerações Finais

A Comunicação para Educação em Saúde e Meio Ambiente surgiu neste trabalho não só como estratégia de conhecimento e divulgação da situação do IDH na região, através do diagnóstico sanitário, contribuindo com a promoção e a prevenção desses temas, mas principalmente também no sentido da construção de textos educativos, nas suas diversas especificidades, que foram inspirados com a problematização e com o diálogo, dentro do espaço escolar, de maneira que pudessem ser desenvolvidas mudanças no processo educativo, por reconhecimento e práticas comunicativas. O Rádio enquanto meio de educomunicação foi privilegiado, por três turmas de estudantes, no sentido de informar, rompendo fronteiras e contribuindo com jovens e adultos, na busca do conhecimento, na escola e à distância.

Entretanto

Entretanto Educação
Avalie o artigo
[Total: 0    Média: 0/5]
COMPARTILHE
PARTICIPE
Faça seu login
Avalie o artigo
[Total: 0    Média: 0/5]
COMPARTILHE
Recomendados
Outras matérias da mesma editoria