Por que os professores do século 21 devem construir sua marca pessoal?

por: Entretanto

O que é uma marca? Se te pedissem para pensar em cinco palavras que definam esta palavra, as chances de você pensar em coisas como “logo”, “publicidade”, “marketing” e “identidade corporativa” são enormes. No entanto, apesar de associarmos marcas a todos esses conceitos, eles não são os únicos representativos. Na verdade, uma marca é um conceito para as emoções que ela desperta: um sentido de pertencer e uma sensação de segurança, de paixão e de confiança.

Um dicionário online de termos corporativos define uma marca como “design exclusivo, sinal, símbolo, palavras, ou uma combinação de palavras, empregadas na criação de uma imagem que identifica um produto e o diferencia de seus concorrentes. Ao longo do tempo, esta imagem será associada ao nível de credibilidade, qualidade e satisfação na mente do consumidor”.

O conceito-chave nesta definição é o “exclusivo” – algo que diferencia uma marca de seus concorrentes, bem como a qualidade e as percepções dos clientes.

O que pode virar uma marca? Produtos, serviços, lugares, pessoas, até mesmo religiões. O maior sinal de sucesso, porém, é quando uma marca se torna um verbo. Por exemplo, você já “Photoshopou” uma foto? Você “Googla” informações? Ou então você faz um “Skype” com seus amigos?

Por que construir sua marca pessoal é essencial

Então, por que devemos construir uma marca pessoal? Sua marca pessoal é o que te faz reconhecido, ou seja, uma combinação de fatos e percepções que as pessoas terão de você. Pense nisso: se eu entrasse em uma de suas aulas, que tipo de imagem veria? Você pode pensar em uma palavra que representa o que eu veria?

A imagem que você projeta te deixa feliz?

No mundo ultra conectado de hoje, em que as percepções e as impressões são, no mínimo, tão importantes quanto os fatos, a pergunta que você fazer a si mesmo é se você está preparado para construir e cultivar a sua marca ou se você quer ser definido por outras pessoas, sem que você tenha absolutamente nenhum controle sobre isso.

O que você quer que as pessoas associem a você quando elas pensam em seu nome? Seus conhecimentos sobre o assunto? Ou algumas qualidades gerais que você possui? Compreender como você gostaria de ser percebido e lembrado é um passo crucial no processo de construir sua reputação profissional.

Uma marca pessoal forte precisa de uma narrativa forte, cuja qualidade não seja apenas uma palavra vazia. Você é único e precisa ser capaz de explicar onde a sua singularidade reside.

Louis Henry Sullivan, um arquiteto norte americano considerado por muitos o criador do arranha-céu moderno, disse uma vez “A forma segue a função”. Na construção de sua marca pessoal, comece decidindo quem você é em comparação a outras pessoas e construa uma narrativa baseada em como os outros podem se beneficiar ao trabalharem com você.
A matéria-prima para a sua história é quem você é, o que você alcançou, quais são seus pontos fortes e o que você espera alcançar no futuro. O próximo passo é decidir onde e como você quer contar a sua história – deixe a forma seguir a função.

Narrativas autênticas

Contar uma história convincente é a melhor maneira de se tornar memorável. Mas sua história pessoal não será completa se você subestimar o poder do fracasso, falando sobre suas falhas. Por quê? Porque você pode provar que aprendeu com seus erros. Todos nós falhamos uma vez ou outra.

Dica para a vida: quando você tem aquela entrevista de emprego muito importante e é questionado sobre o que o ajudou a se desenvolver mais como profissional, não hesite em mencionar seus fracassos e seus erros. Para mim, falar sobre o que eu considerava meu maior fracasso ajudou meu futuro empregador a ver que estou falando sério sobre aprender com os meus erros. O que, por sua vez, contribuiu para o tipo de abertura e confiança que é absolutamente fundamental para uma relação de trabalho suave e eficaz.

Além de desenvolver uma história convincente, o que mais você pode fazer para ajudá-lo a construir a sua marca pessoal? Certifique-se de desenvolver relacionamentos profissionais genuínos e fortes que se baseiam em trabalho em conjunto, compartilhamento e doação. São estas relações que podem vir a fornecer referências fortes quando você estiver procurando por um novo emprego, e estes relacionamentos podem vir a ser uma grande força em tempos difíceis.

Discuta seus sucessos

Não se esqueça de reconhecer e comemorar seus sucessos profissionais e seus superpoderes. Quando algo vai muito bem, pare por um momento e tente se lembrar daquela sensação de plenitude. Certifique-se de que você parou para pensar sobre o que é que te motiva em seu trabalho. Se você se sente motivado e feliz no que faz, esse sentimento será exteriorizado e fará com que você se destaque da multidão.

Maya Angelou, escritora e ganhadora do Prêmio Nobel, disse uma vez que, “As pessoas irão se esquecer do que você disse e do que você fez, mas nunca se esquecerão de como você as fez sentir.” Se puder reconhecer quais os aspectos do seu trabalho que te fazem sentir bem sobre si mesmo, outros vão se sentir bem ao trabalharem com você. Seu apelo emocional é uma parte crucial de sua marca pessoal e é algo que faz com que você e sua marca sejam inesquecíveis.
Não ignore o seu eu online

Quando falamos sobre a forma como somos percebidos, é impossível desconsiderar os meios de comunicação sociais. Suas interações online com as pessoas criarão impressões de quem você, principalmente nas redes sociais. Então é do seu interesse ter o controle destas impressões e conscientemente construir sua reputação profissional ao longo do tempo.

Pense sobre o que os seus perfis do Facebook ou do Twitter dizem sobre você e lembre-se de que seu comportamento online fará com que as pessoas tirem conclusões sobre seu comportamento fora da rede. Se o seu perfil é cheio de erros gramaticais ou postagens inacabadas, por exemplo, você pode ser visto como alguém que geralmente não presta atenção aos detalhes.

Considerações

Como educadores, sempre nos esforçamos para ter o melhor desempenho em relação aos nossos alunos. Construir uma marca pessoal requer compromisso a longo prazo, determinação, pensamento estratégico e paciência. Mas não é exatamente isso que “melhor desempenho” significa? Afinal, se uma marca pessoal diz respeito a ser o seu melhor, quem entende melhor desse desafio do que você mesmo?

Receba nossa News