O que funciona melhor em educação: A política de “conhecimento colaborativo”

por: John Hattie

TAREFA 1. MUDE A NARRATIVA
O primeiro passo é reenquadrar a conversa para se concentrar no progresso. Alto desempenho e padrões não são fins em si mesmos; todos, de professores e dirigentes escolares, a pais e formuladores de políticas, devem trabalhar em conjunto no sentido de assegurar a cada criança pelo menos o equivalente a um ano de progresso para cada ano de entrada.
Vídeo:

John Hattie on creating a culture of ‘collaborative expertise’

TAREFA 2. CONCORDAR COM O QUE É UM ANO DE PROGRESSO
É preciso haver debate e concordância entre os educadores sobre o o que é um ano de progresso, que pode ser diferente para cada aluno dependendo do seu ponto de partida. Este entendimento compartilhado irá reduzir a variabilidade na compreensão dos professores do desafio e do progresso para os alunos, e é a única maneira de acelerar o progresso verdadeiramente.

TAREFA 3. ESPERE PROGRESSO NO ANO DE APRENDIZAGEM
Uma das maiores influências sobre a aprendizagem é as expectativas dos alunos e professores. Quando os alunos têm professores com grandes expectativas, eles tendem a ser muito bem-sucedidos em alcançar seus objetivos e estão ligados em aprender.

TAREFA 4. DESENVOLVER NOVAS MANEIRAS E FERRAMENTAS DE AVALIAÇÃO
Temos de encontrar melhores formas de ajudar os professores e alunos a utilizar as avaliações para otimizar o ensino e a aprendizagem. Muito peso é colocado sobre o uso de testes para medir o aprendizado, em vez de formar a base para diferentes intervenções ou apoio suplementar. Ferramentas de avaliação devem moldar a aprendizagem ao invés de simplesmente medi-la.

TAREFA 5. SAIBA O IMPACTO!
Dirigentes escolares devem criar um ambiente que permita um ensino excelente e comunicação concreta entre professores, pais e alunos. Com foco em causar impacto, os professores devem identificar antecipadamente que significa obter sucesso.

John Hattie on examples of “collaborative expertise” in practice

TAREFA 6. ASSEGURAR QUE OS PROFESSORES TENHAM EXPERTISE EM DIAGNÓSTICO, INTERVENÇÃO E AVALIAÇÃO
Não surpreendentemente, as ações educativas com o maior impacto quase sempre se relacionam ao professor. Educadores precisam compreender o que cada aluno já conhece e até onde ele precisa ir em seguida, serem especialistas na utilização de um conjunto de ações para ajudar o aluno a chegar até lá e, em seguida, para avaliar o impacto que eles provocaram.

TAREFA 7. PARAR DE IGNORAR O QUE SEBEMOS E AUMENTAR O ÊXITO
Há uma quantidade enorme de consistência em toda a educação – a cada ano, os alunos enfrentam desafios semelhantes aos estudantes antes deles, e nós temos uma riqueza de conhecimentos sobre a melhor forma de enfrentar esses desafios. Os professores devem, portanto, ser encorajados a usar abordagens e ideias existentes, que já foram provados, para serem bem-sucedidos com os alunos.

TAREFA 8. LIGAR AUTONOMIA TO A YEAR’S PROGRESS
Onde os professores estão permitindo que todos os alunos obtenham um ano de crescimento por cada ano de entrada, estes devem ter autonomia – which they have earned. Suas estratégias e táticas devem ser compartilhadas entre a comunidade de ensino para ajudar a aumentar o conhecimento de todos os professores.

John Hattie on the role of teachers in buiding a culture of “collaborative expertise”

1 year input = 1 year progress
Acesse o Estudo aqui.

Receba nossa News