Mindset: Como desenvolver um modelo mental de crescimento

por: Débora Aquino

No decorrer da vida, vamos desenvolvendo crenças e valores baseado no que ouvimos, vemos e presenciamos. Fazemos nosso julgamento e construímos nosso próprio mindset – ou o modelo mental de pensamento.

O mindset é o conjunto dessas crenças que consequentemente controlam nosso modo de agir e pensar.

É muito comum se dizer a uma criança o quanto ela é talentosa ao colorir um desenho, por exemplo, ou o quanto é talentosa ao pular corda… A criança ouve todas as afirmações sobre si mesma, boas e ruins e vai construindo sua autoimagem. A criança curiosa, ativa, às vezes pode ser chamada de peralta, inquieta… Ela vai aprendendo que o bom é ficar quieto, não perguntar.

A vida vai passando e vamos absorvendo frases como:

” Você tem que passar em um concurso público!”
“Se você não estudar , vai ficar igual ao seu avô…”
“Menina tem que ser delicada…”
“Homem não chora…” ” Seja homem!”
“Ele é um bom trabalhador…”
“Você vai passar vergonha…”

Essas, entre muitas outras afirmações vão adentrando nossa mente e formando nosso mindset.

Existem dois tipos de mindset, segundo Carol Dwek psicóloga e pesquisadora: O mindset fixo e o mindset de crescimento. Uma pessoa com mindset fixo acredita que não pode mudar características como inteligência, por exemplo. Ela acredita que a Inteligência é algo pessoal, quase um “dom” que cada um recebeu como um prêmio.

O problema é que acreditar nisso nos faz acomodar e não evoluir. A criança quando desenvolve esse tipo de mentalidade acredita que tem que acertar sempre e que o contrário é humilhante. Ela passa a se envolver somente em atividades onde vai ser elogiada. Ou seja, ela nunca se expõe a uma atividade que ainda não domina.

Sabe aquela frase: ” Não é que eu não goste de futebol, é que não sei jogar…”

Parece uma coisa à toa, mas ampliando para outras situações da vida, corre-se o risco de nunca arriscar, errar e crescer. A pessoa nunca se põe à prova, pensa sempre de forma limitada sobre si mesma. Eu mesma cresci ouvindo que deveria passar em um concurso público para professora, que o emprego é garantido pra toda a vida…

Não tem nada de errado em passar em um concurso público em si, mas o lado sombra disso?

Pensar que quem dá aulas em colégios particulares vive na corda bamba, correndo riscos e não simplesmente que se eu for uma boa profissional ficarei lá enquanto fizer sentido para ambos. Que pra estar lá preciso ser boa, o que é ótimo. Cria-se a falsa ideia que na rede pública você não está lá por competência prática, mas sim porque já garantiu passando no concurso.

Dois efeitos negativos disso:

– Baixa autoestima
– Profissionais acomodados

Mas vamos ao outro modelo mental, o MINDSET DE CRESCIMENTO:
Pessoas que acreditam que podem ser o que quiserem. Se dão o direito de errar, arriscar, até passar vergonha de vez em quando… e crescem. Como crescem…
Gostamos de ouvir histórias de pessoas assim.
É aquele menino da roça que estudou depois de adulto e se tornou doutor. É o cara que teve uma ideia de um negócio inovador e investiu tudo que tinha e fez dar certo. É a menina pobre com a voz bonita que se inscreveu em um programa de tv e com sua coragem mostrou o que sabia… Adoramos ouvir histórias de mindset de crescimento. Também por isso o presidente Obama é tão querido…
Mas e quanto a você mesmo? O que te faz pensar de maneira limitada sobre si mesmo? Que barreiras imaginárias foram construídas em sua mente?
Como disse, por um tempo, realmente acreditei que a tal “estabilidade” era mais confortável. Hoje vejo que estava enganada. Quando me desafiei cresci, aprendi coisas novas, convivi com pessoas diferentes, aprendi com elas.
Houve um ano que resolvi sair da minha cidade natal , no interior do Paraná. Fui pra Florianópolis aproveitando meus 6 meses de licença-prêmio remunerada e não voltei mais. Montei um currículo e pensei: “Vou dar aulas nos melhores colégios desta cidade!”
Saí de porta em porta dos colégios levando o currículo pessoalmente. Sinceramente, não sei de onde tirei tanta segurança…Até que um dia fui chamada para uma entrevista. Falei de mim mesma como se eu já soubesse que seria contratada. Minha confiança estava baseada na minha vontade de aprender, na curiosidade, no hábito de estudo e pesquisa. No fundo eu sabia que os professores daquela escola eram melhores do que eu , o que era mais um motivo pra eu querer estar lá, mas abafei o pensamento negativo.
Ao final da entrevista, veio uma pergunta matadora: “Mas…você sabe usar tecnologia nas aulas? Sabe usar um projetor? lousa digital?
Gelei por dentro, respirei fundo e respondi: “Quanto tempo eu tenho pra aprender?”
Fui contratada.
Eu não sabia ainda fazer aquilo, mas sabia que era capaz de aprender qualquer coisa que eu quisesse. Esta é a mensagem que quero deixar pra você : Não se limite nunca. Aprenda com seus erros e cresça sempre. Tem uma frase que meu pai sempre diz: “De tudo que acontece podemos tirar uma lição e aprender alguma coisa”
É… meu pai me ajudou a construir um pouco do mindset de crescimento. Hoje posso ajudar meus filhos, alunos e colegas a pensar assim também.
Você pode ser o que você quiser!

Receba nossa News