17/05/2019

Um congresso inspirador na Bett Educar 2019

Entretanto

O último dia de Bett Educar 2019 trouxe para o ciclo de congressos o professor Diego Mahfouz Faria Lima, um  educador de 30 anos que transformou a realidade da escola pública Darcy Ribeiro, em São José do Rio Preto (SP).

Seu trabalho o levou a ser Educador do Ano no Prêmio Educador Nota 10 2015 e atualmente, ganhador do Global Teacher Prize 2018. Diego começa o congresso contando sua trajetória. “Eu me apaixonei pela educação quando me tornei auxiliar de alfabetização” e conta como conheceu a escola Darcy Ribeiro. “Trabalhava em uma unidade ao lado da Darcy e fui até lá levar um tapete emprestado para os alunos usarem na colação de grau”, conta.

A partir daí, o destino de um jeito de unir escola e educador quando foi convidado pela diretora da unidade para assumir o cargo de vice-diretor. “Eu não ia aceitar, mas daí me questionaram: Você não quer transformar a educação? Aí eu fui e aceitei”, conta.

O primeiro dia foi de longe o mais difícil, Diego conta em detalhes o que aconteceu quando reuniu os estudantes no pátio para se apresentar e mostra fotos de uma escola depedrada. “Eles jogaram maças da merenda em mim, colocaram fogo nos lixos e banheiros e os inspetores assustados pediram pra eu abrir os portões e deixar todo mundo ir embora, mas eu pedi pra aumentar o microfone e falei: Vocês podem vandalizar toda a escola, mas eu não vou embora e estou aqui para ouvi-los. Essa frase foi a chave de todo o projeto”, finaliza com um sorriso no rosto.

A partir desse acontecimento os alunos se acalmaram e começar a compartilhar os problemas com o então diretor. Contaram que achavam a escola punitiva, suja e depredada. A partir das queixas, Diego iniciou seu projeto de reconstrução coletiva. Primeiro, ele desenvolveu um questionário para enviar aos pais e comunidade, com os principais problemas em mãos, desenvolveu 10 soluções para cada um deles.

Para a reforma da escola, contou com a ajuda de outras unidades que doaram tintas e materiais, durante o recesso escolar em Julho, pais e alunos ajudaram a pintar as salas e fizeram manuteção de pequenas situações. Reuniões com famílias foram criadas e como os adolescentes não entregavam os bilhetes, Diego pediu ajuda a um pai com carro de som. “A gente colocava a música de plantão e passava os recados depois das 18h para todos ouvirem. Com isso, aumentamos a participação das famílias e hoje já nem cabem todos juntos”, conta.

A escola começou a ser aberta aos sábados com acesso a biblioteca para todos, para evitar a evasão escolar às sextas-feiras foi criado o projeto Prata da Casa, onde qualquer pessoa pode apresentar um talento no palco. A escola também desenvolveu um jardim sustentável em um terreno atrás da unidade, uma vez tomado pelo tráfico de drogas. “A propria comunidade expulsa o tráfico quando existe um espaço compartilhado. Hoje nós também encaminhamos jovens para o mercado de trabalho”, completa. Diego encerra seu congresso demonstrando que a transformação é viável e possível e recebe aplusos de uma plateia emocionada.

Entretanto

Entretanto Educação
Avalie o artigo
[Total: 0    Média: 0/5]
COMPARTILHE
PARTICIPE
Faça seu login
Avalie o artigo
[Total: 0    Média: 0/5]
COMPARTILHE
Recomendados
Outras matérias da mesma editoria