fbpx
14/05/2020

Bett Educar: Quais mudanças esperar na educação em um cenário pós-pandemia?

Último encontro on-line tratou dos principais desafios das instituições de ensino e apresentou relatório analítico da Organização dos Estados Ibero-americanos

Não é nenhuma novidade que muitas mudanças estão por vir para a educação em um cenário pós-pandemia. Neste período de incertezas, instituições, governos e sociedade organizada buscam diagnosticar e identificar alguns caminhos que nos levem ao retorno das aulas na tentativa de mitigar as sequelas deixadas pelo Covid-19.

Diagnóstico e planos de ação foram justamente os tópicos abordados no último dia da Bett Educar – Encontro Online, nesta quinta-feira (14), que reuniu nomes como Rossieli Soares, secretário de Educação do Estado de São Paulo, Raphael Callou, diretor e chefe da representação da Organização dos Estados Ibero-americanos, Maria Helena Guimarães de Castro, embaixadora do PISA, conselheira do CNE e presidente da ABAVE, Mario Ghio, diretor-presidente do SOMOS Educação e Guilherme Affonso Ferreira Filho, diretor-presidente da Bahema Educação.

De acordo com a visão dos especialistas, a primeira mudança observada na educação é o projeto de valorização de professores. De acordo com o diretor da Banema Educação este é um movimento que, inclusive, já está acontecendo.

Ao que compete ao retorno das aulas presenciais, de acordo com Mario Ghio, o movimento deverá ser guiado pelas Secretarias de Saúde, com a criação de protocolos de segurança, distanciamento e higiene. Além disso, será necessário um plano abrangente que deverá unir tecnologia, formação de professores, infraestrutura e educação socioemocional. “A crise não é momento de achismo. É tratar as causas para não ter os efeitos que ela provoca”, disse.

Para além de aspectos físicos, os especialistas avaliam que o grande aprendizado dessa crise é que está sendo criada uma nova cultura digital. “Ficou muito claro que as nossas escolas não estavam preparadas para isso, não tinham infraestrutura adequada. Mas além do problema de infraestrutura, nós precisamos criar agora estratégias de formação continuada dos nossos professores”, disse a embaixadora do PISA.

Durante o encontro virtual, falou-se sobre o relatório da Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura, que analisou 23 países sobre como as escolas poderão ser afetadas pela crise provocada pelo coronavírus. Clique aqui e acesse o relatório.

Planejamento de educação adaptado ao Covid-19 na perspectiva do Estado de SP

Em sua participação, o secretário de Educação do Estado de SP falou sobre os movimentos idealizados pelo governo paulista para mitigar os impactos do coronavírus na vida dos estudantes. Como a mobilização para prevenção ao Covid-19 na primeira semana de março, a paralisação gradual das aulas, o planejamento das atividades e roteiros de estudos, com material orientador para pais e professores, a educação mediada pela tecnologia por meio do Centro de Mídias, o Programa Merenda em Casa, que direcionou recursos da merenda escolar para alunos em situação de extrema pobreza.

Rossieli falou também sobre projeções do governo para os próximos desafios, como o maior plano de busca ativa de estudantes da história e diminuição da defasagem. “Não é culpa do jovem, do professor ou estado. Não vamos permitir que nenhum estudante fique para trás”, disse.

Para assistir ao último dia de Bett Educar – Encontro Online clique no player abaixo:

Entretanto

Entretanto Educação
Avalie o artigo
[Total: 0    Média: 0/5]
COMPARTILHE
PARTICIPE
Faça seu login
Avalie o artigo
[Total: 0    Média: 0/5]
COMPARTILHE
Outras matérias da mesma editoria