fbpx
18/12/2019

Saiba como se apropriar das diretrizes da BNCC

Documento regulamenta quais são as aprendizagens essenciais a serem trabalhadas nas escolas

Nos últimos meses, o debate sobre a educação no Brasil se amplificou, especialmente pela aprovação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), documento que lança caminhos e conduções para a construção do currículo em todo o Brasil. Trata-se de um compilado de outras ferramentas do Ministério da Educação (MEC) para direcionar a educação brasileira como, por exemplo, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) e o Plano Nacional de Educação (PNE).

A BNCC tem, portanto, a função de direcionar e mostrar para as redes de ensino públicas e privadas como edificar a construção de um currículo com ações ou intervenções que favoreçam o processo de ensino-aprendizagem.

Para te ajudar a compreender melhor como se apropriar das diretrizes da BNCC, o gerente pedagógico da Pearson, Alexandre Ebuerneo, elencou 4 caminhos para preparar a escola para o que o documento propõe. Confira:

1) Aceitação

A proposta da Base é trabalhar de uma forma participativa e democrática. Para que isso aconteça, é preciso que todos estejam interessados e envolvidos. E a comunicada escolar só vai conseguir essa motivação se aceitar aquilo que está sendo proposto pelo documento.

2) Conhecimento

Para atingir a aceitação, portanto, toda a comunidade escolar precisa ter conhecimento. Neste contexto, a formação docente é muito importante para mostrar o que é a BNCC e o que o documento propõe. É importante saber a estrutura da BNCC, mas o que a escola precisa, de fato, é entender e conhecer qual é a filosofia, qual é concepção pedagógica, a concepção humanista e até a concepção conceitual do conteúdo que a Base apresenta, para que ele possa saber se isso está de acordo com as habilidades e competências que precisam se desenvolver no século XXI. É a conscientização por meio de uma boa formação.

3) (Re)Construção do PPP

É fundamental que toda a escola entenda o Plano Político Pedagógico (PPP). Agora, mais do que nunca, deve ser um documento vivo, orgânico e resiliente, que deverá se adaptar, se reconstruir e apontar a direção real da escola. É a bússola da escola. Muitas vezes, o PPP tem uma funcionalidade meramente burocrática, mas ele deve deixar de ter essa funcionalidade para assumir a função de “bússola” para oferecer um direcionamento preciso.

Essa construção do PPP, atrelada às diretrizes da BNCC, é um passo essencial e necessário para que a escola possa se fundamentar em alguma coisa que realmente direcione suas ações.

4) Competências e habilidades socioemocionais

A BNCC orienta para a ação interdisciplinar e polivalente do papel da escola e vai além daquilo que simplesmente mostram os nossos livros, está além do conteúdo. É neste momento em que devemos trabalhar com as habilidades socioemocionais do ser humano que, muitas vezes, um conteúdo não vai explorar.

Isso vai depender da sensibilidade e visão do professor, pois o processo de aprendizado é uma troca, então o professor deve desenvolver a habilidade socioemocional junto com os alunos, tornando-se um mediador no processo de aprendizagem, para ser um exemplo para os estudantes de que o conhecimento é algo que transpassa conteúdo, e diz respeito à prática, experiência e vivência.

Entretanto

Entretanto Educação
Avalie o artigo
[Total: 0    Média: 0/5]
COMPARTILHE
PARTICIPE
Faça seu login
Avalie o artigo
[Total: 0    Média: 0/5]
COMPARTILHE
Outras matérias da mesma editoria