18/04/2022

Em Webinar promovido pela Câmara Britânica representantes da Pearson e Unilever comentam sobre mudanças climáticas

Na última quarta-feira (14), o Vice-Presidente de Produtos Educacionais para América Latina da Pearson, Juliano Costa, e Juliana Abreu, Gerente de Advocacy de Sustentabilidade da Unilever, participaram do Webinar da Câmara Britânica de Comércio e Indústria para falar sobre as mudanças climáticas. O evento foi online, gratuito e aberto ao público.

Durante a participação, Juliano apresentou os resultados da Global Learner Survey – Climate Change, pesquisa da Pearson realizada em parceria com a Morning Consult, que ouviu 5.000 pessoas em cinco países (Brasil, China, Estados Unidos, México e Reino Unido). 

Segundo Juliano, e de acordo com os dados da pesquisa, as pessoas concordam sobre a importância de começar a estudar sobre educação ambiental para o desenvolvimento de políticas sustentáveis na sociedade desde cedo. “A maioria dos entrevistados da pesquisa disse que as pessoas devem começar a estudar sobre questões climáticas já no ensino primário, do 1° ao 5° ano, é o que chamamos de estudos iniciais. E em alguns países, em especial, Brasil e México, o ensino sobre meio ambiente deve começar na educação infantil”, disse Juliano.

Em continuidade ao pensamento, Juliano ressalta a importância da escola como meio de desenvolvimento para que ações sustentáveis sejam efetivas na sociedade. Já que, de acordo com a pesquisa, cerca de 86% dos entrevistados acreditam nisso. “Depois vem a família, amigos, redes sociais, jornalismo e o Estado”, acrescentou o VP.

Dentre os principais resultados que a educação ambiental promove para a sociedade, Juliano Costa destaca a participação de pessoas que se envolveram no aprendizado sobre mudanças climáticas e como elas podem contribuir para um ecossistema mais saudável em espaços profissionais. 

“Quando olhamos a jornada inteira de princípios de sustentabilidade, meio ambiente e governança, essa jornada deve começar na escola e educação infantil para chegar na fase adulta, a pessoa tiver todo o repertório necessário para poder dialogar e fazer uma diferença positiva dentro da empresa ou trabalho que executa”, comentou.

Juliana Abreu, Gerente de Advocacy de Sustentabilidade da Unilever, concordou e destacou a importância das ações de empresas junto aos seus colaboradores, com o propósito de difundir conhecimento sobre questões ambientais e mudanças climáticas. 

Na ocasião, Abreu comentou sobre o projeto “Regenera”,  programa da Unilever que reúne mensalmente colaboradores para discutirem sobre medidas sustentáveis.

“Temos um canal interno que chamamos de Regenera, ele acontece mensalmente e serve para discutir sobre sustentabilidade. De uma maneira simples e descontraída para abordar o máximo de funcionários possíveis, dessa forma, durante as reuniões vêm diversas perguntas como pessoa física, do tipo, como eu posso contribuir com ações sustentáveis?”, disse Juliana.

Não conseguiu acompanhar a transmissão? Assista à gravação abaixo:

Outros destaques da Global Learner Survey – Climate Change

 

  • Os brasileiros (71%) lideram o grupo de entrevistados que atualmente estão tentando se informar sobre as questões climáticas. A China tem a menor proporção (48%). 
  • Aproximadamente metade dos entrevistados em todo o mundo (55%) afirmam que provavelmente procurarão emprego em uma área que tenha um impacto positivo direto sobre o meio ambiente. México 68%, Brasil 63% e China 62% lideram os índices. 
  • Profissionalmente, essa questão também parece pesar. Mais da metade dos brasileiros (53%) e dos mexicanos (54%) acreditam que é muito importante que as suas carreiras tenham um impacto ambiental positivo, enquanto EUA (28%), Reino Unido (19%) e China (28%) têm índices mais baixos.

Leia também: Brasileiros acreditam que é possível reverter os impactos das mudanças climáticas

Entretanto

Entretanto Educação
Avalie o artigo
[Total: 0   Average: 0/5]
COMPARTILHE
PARTICIPE
Faça seu login
Avalie o artigo
[Total: 0   Average: 0/5]
COMPARTILHE
Outras matérias da mesma editoria