31/03/2021

EJA: Capacitação no contexto da pandemia

A pandemia da Covid-19 descortinou desigualdades e os impactos foram sentidos, sobretudo, na educação básica. Falta de infraestrutura e dificuldades têm levado à queda dos índices dos alunos matriculados na modalidade EJA (Educação para Jovens e Adultos), que já eram preocupantes e deslanchavam por 4 anos consecutivos. 

O último Censo Escolar da Educação Básica, divulgado pelo INEP, registrou queda de 7,7% nas matrículas para a EJA em 2020. Aproximadamente 579 mil matrículas a menos do que em 2019.  

O levantamento também constatou que a defasagem (atraso na trajetória escolar) aumenta a partir do 3º ano do ensino fundamental. Essa realidade se intensifica na 7ª série do ensino fundamental e no 1º ano do ensino médio. 

Mas, afinal, qual é o perfil de alunos matriculados nesta modalidade? Normalmente, são aprendizes em vulnerabilidade social, que tiveram sua trajetória de aprendizado interrompidas em virtude do trabalho, das obrigações domésticas, da maternidade ou das regiões ondem moram, e outros fatores que contribuíram para a evasão.  

Com os dados e realidade postas, é imprescindível pensar em políticas públicas e projetos pedagógicos que acolham aprendizes em idade não convencional e vulnerabilidade social. Por isso, a Entretanto listou alguns pontos de atenção para favorecer a trajetória escolar dessa comunidade. Confira:  

 Olhar para a tecnologia  

Pensar em como a escola intervirá para favorecer a aquisição das habilidades necessárias para que os estudantes possam interagir por meio das plataformas digitais ou se engajem em atividades remotas, evitando a exclusão evidenciada em muitas redes neste ano. 

Fortalecer a comunicação  

É preciso que os canais de comunicação com os estudantes sejam fortalecidos para que não haja aumento no índice de evasão. Diversificar as formas de comunicação remota e garantir a clareza das mensagens e informes aos estudantes é o caminho para a manutenção bem-sucedida do contato. 

Exercícios de conscientização 

A escola pode traçar estratégias que visem a manutenção dos cuidados sanitários e à conscientização dos estudantes quanto ao cuidado de si e do outro. Por, ainda, alertar em relação às fake news, tanto sobre o coronavírus quanto às informações de vacinação 

Busca Ativa 

Resgatá-los a partir da busca ativa. Motivá-los à continuidade dos estudos e lhes dar segurança de que a escola fará o máximo possível para compensar as perdas de aprendizagem é o passo fundamental para a reconstrução da comunidade educativa. 

  

Parte do conteúdo foi publicado originalmente em Nova Escola: EJA: estratégias para a retomada do novo ano letivo 

Entretanto

Entretanto Educação
Avalie o artigo
[Total: 0   Average: 0/5]
COMPARTILHE
PARTICIPE
Faça seu login
Avalie o artigo
[Total: 0   Average: 0/5]
COMPARTILHE
Outras matérias da mesma editoria