21/12/2020

Educadores relatam aprendizados de 2020

Profissionais do setor falam sobre experiências que vão levar para o próximo ano

Não restam dúvidas: 2020 foi um ano de transformações aceleradas e de novas funções para professores, estudantes, pais e responsáveis. O distanciamento social causado pela pandemia da Covid-19 alterou relações sociais, transformou a rotina dos lares no mundo todo, exigiu esforço e capacidade de adaptação de profissionais de diversas áreas. 

Ele ainda não terminou, mas faltam poucos dias deste ano que impactou de forma drástica todas as esferas da aprendizagem. O que será que podemos levar de experiência para 2021? Qual é a bagagem que carregaremos para os próximos ciclos? A Entretanto ouviu alguns profissionais do setor sobre as expectativas para o novo ano. Confira:

Lições da pandemia

Para Laura Dibiasi, professora de artes do Colégio COC (Araucária/PR), a “lista de materiais” de 2021 estará cheia de resiliência. A educadora explica que levará a capacidade de se reinventar e fazer dar certo, assim como a paciência e a sabedoria de mudar os caminhos quando necessário: “Mudanças nem sempre são fáceis de lidar, mas são necessárias para a evolução como pessoa e profissional”, concluiu.

O professor de geografia da EMEF Duque de Caxias e fundador do Projeto “Aulas Públicas“, Paulo Magalhães, contou que a sensibilidade e a relação que os educadores praticaram entre si e com os alunos é o que deve ficar deste ano: 

“Em 2020, percebi que os educadores se aproximaram mais, mesmo com essa distância. Nós passamos a valorizar mais a experiência do outro, aceitando e respeitando o trabalho de todos. O que vou levar de 2020 para 2021 é uma relação muito mais afetuosa. A gente não tinha toda essa confiança e respeito nos anos anteriores. Então, levarei esse cuidado e esse relacionamento muito mais humanista que nós tivemos com os educadores. Sem aquela relação de conflito ou poder, mas uma relação de unidade. Eu vejo pelo exemplo da minha escola. Nós nos aproximamos muito mais nessa relação de troca, e não pela competitividade.”

Reconhecimento

O coordenador da Pearson Brasil, Lucas Rosa, destacou o papel dos mestres durante este período. Para ele, é preciso “aprender com a experiência de 2020 para poder, dentro das possibilidades que temos, fazer o 2021 no espaço da educação ainda mais acolhedor. As pessoas precisam ser acolhidas, os alunos precisam ser acolhidos mediante a situação desafiadora que nós temos, o espaço para que a aprendizagem transcorra melhor e que, principalmente, os profissionais da educação sejam reconhecidos”.

“É de ficar maravilhado com o que tantos professores tem feito nesse cenário tão desafiador, nunca vivido na história da educação recente, que é a de lecionar da noite para o dia para os alunos numa modalidade até então pouco experimentada, do ensino totalmente à distância. O que é muito novo na educação básica”, afirmou.

 

E para você, quais são os principais aprendizados de 2020? Deixe sua opinião em nosso e-mail ou nas redes sociais da Pearson Brasil.

Entretanto

Entretanto Educação
Avalie o artigo
[Total: 0   Average: 0/5]
COMPARTILHE
PARTICIPE
Faça seu login
Avalie o artigo
[Total: 0   Average: 0/5]
COMPARTILHE
Recomendados
Outras matérias da mesma editoria