fbpx
02/01/2020

Dia Mundial do Braille: 3 projetos de inclusão para se inspirar

Impressora em relevo, Legos adaptados e aulas de Braille: conheça iniciativas que estão mudando a vida de deficientes visuais

A escrita foi uma das maiores invenções da humanidade, mas, por muito tempo, as pessoas cegas ficaram às margens dessa conquista. No início do século XIX, portanto, a invenção do francês Louis Braille mudou para sempre a história das pessoas com deficiências visual. A criação do sistema de escrita e leitura em relevo, que conhecemos como sistema Braille, marcou uma nova era de inclusão.

Dia 4 de janeiro se comemora em todo o mundo o Dia do Braille e, ao longo dos anos, outras grandes e pequenas iniciativas de inclusão se somam à criação do sistema para transformar muitas vidas.

Conheça 3 projetos para se inspirar:

Jovens professores de Braille

O projeto Braille Básico, finalista da 5ª edição do Desafio Criativos da Escola, em 2019, chegou para transformar a vida de toda a comunidade de uma escola, no Rio Grande do Sul.

Diante das dificuldades de acessibilidade, o aluno da 2ª série do Ensino Médio, Victor Lucena, viu uma oportunidade de ensinar aos demais colegas e funcionários a língua pela qual se comunica e, assim, quebrar preconceitos e estereótipos relacionados às pessoas cegas. O jovem e outros dois colegas, Jean da Rosa e Victor Machado, criaram um curso sobre o sistema Braille, englobando também melhores formas de lidar com pessoas cegas no que se refere à orientação e mobilidade.

– Leia na íntegra no PorVir.

Impressora em comando de voz

Uma impressora capaz de reproduzir textos em Braille é a inovadora criação da estudante brasileira de engenharia Bruna da Silva Cruz, que desenvolveu a máquina Fast Braille. O equipamento solicita que o usuário digite e envie um texto pelo computador ou pelo celular, ou até dite as palavras, para que o conteúdo seja impresso automaticamente em papel em relevo.

A invenção rendeu à jovem de Novo Hamburgo (RS) o segundo lugar no Prêmio Jovem Cientista 2019, que reconhece as pesquisas científicas desenvolvidas por alunos de escolas de Ensino Médio e da educação profissional de nível técnico.

Lego Braille Bricks

A Fundação LEGO, em parceria com a Fundação Dorina Nowill, iniciou um projeto piloto para apoiar a alfabetização de crianças entre 4 e 10 anos. A partir de uma adaptação, os famosos bloquinhos de LEGO se tornaram uma incrível ferramenta de educação inclusiva e trazem o alfabeto Braille – único sistema para a alfabetização de crianças com deficiência visual – e o alfabeto convencional impressos.

A projeção é que, em 2020, os estudantes sejam beneficiados com 10 mil kits de LEGO Braille Bricks que serão distribuídos gratuitamente para escolas públicas, além de formar milhares de educadores para que possam fazer uso do recurso em sala de aula.

Entretanto

Entretanto Educação
Avalie o artigo
[Total: 0    Média: 0/5]
COMPARTILHE
PARTICIPE
Faça seu login
Avalie o artigo
[Total: 0    Média: 0/5]
COMPARTILHE
Outras matérias da mesma editoria