fbpx
13/12/2019

Conheça iniciativas para alcançar uma educação pública de qualidade

Professores, alunos e empresas privadas desenvolvem projetos e apontam soluções para uma escola melhor

O Brasil é um dos países que menos investem recursos na educação básica, segundo os dados do PISA 2018, publicado recentemente pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que analisou os sistemas educativos de 79 países. Segundo o estudo, o Brasil gasta menos de 38 dólares por aluno de 6 a 15 anos de idade, enquanto o gasto para estudantes de mesma faixa etária em Macau, na China – um dos países mais bem colocados no ranking e o que mais investe em educação – chega a quase 150 dólares.

Diagnosticar o problema não significa, necessariamente, resolvê-lo. Há muito trabalho a se fazer. Mas existem, porém, professores, alunos e empresas privadas investindo em inovações pedagógicas e novas metodologias de ensino para aperfeiçoar o processo de aprendizagem.

Educação transformadora

Em uma escola municipal na periferia de São Paulo, a professora Debora Garofalo implantou o projeto Robótica com Sucata, em que alunos utilizam materiais recicláveis, recolhidos pelos próprios estudantes no bairro em que moram, para criar novas tecnologias. 

O projeto colocou a professora na final do Global Teacher Prize (“Prêmio Professor Global”), que reconhece os professores do mundo todo que realizam as maiores contribuições para a educação. O projeto tornou-se uma política pública no Estado de São Paulo e deve impactar na aprendizagem de 2,5 milhões de estudantes, inclusive, na perspectiva de diminuição da evasão escolar, pois os alunos do Ensino Médio, por exemplo, devem ficar mais participativos com essa nova oportunidade.

E, por falar em sucata, desde 2003, colheres, baldes, cabos de vassoura, mesas e tubos de PVC viram música nas mãos dos Embatucadores, projeto do professor de artes Rafael Rip, que envolve os alunos da Escola Estadual Flamíno Fávero, na zona norte de São Paulo. 

O impacto das duas iniciativas pode ser observado no aumento do comprometimento, organização, respeito, cooperação, a amizade e, claro, no maior aproveitamento nas disciplinas.

Solução educacional integrada

Materiais didáticos alinhados ao Plano nacional de Educação (PNE), programas de formação continuada para professores e consultoria pedagógica são alguns exemplos de como empresas privadas têm fomentado a educação pública e ajudado cada vez mais as escolas a melhorarem seus desempenhos.

A exemplo do NAME, uma solução educacional da Pearson, que oferece palestras, cursos, consultorias e treinamentos para escolas, com o intuito de aprimorar professores e diretores, além de tirar dúvidas sobre o material didático oferecido aos municípios.

“Com ações planejadas, a Pearson está regularmente observando e identificando as maiores dificuldades de cada município tendo como base importantes indicadores, como o Ideb, para oferecer as soluções mais adequadas para cada um deles. Além disso, utilizamos materiais acessíveis. Todos podem participar ”, disse o líder em eficácia da Pearson, Gustavo Reis.

Os alunos de educação pública de escolas parceiras do NAME fazem o uso das Coleções Didáticas, elaboradas com a expertise da Pearson, com atividades lúdicas e conteúdo que abrange saberes sobre patrimônio cultural, artístico, ambiental, científico e tecnológico, além de ajuda a construir a identidade e a autonomia de dos alunos.

Experimente metodologias simples e eficientes

Em sala de aula, professores podem experimentar metodologias simples para envolver mais os alunos. Este envolvimento será um grande indicativo de sucesso na construção de uma educação cada vez mais tangível e prazerosa para os estudantes. 

Confira alguns exemplos de métodos educacionais para utilizar e ajudar os alunos a desenvolverem suas habilidades:

Sala de aula invertida: oriente seus alunos a estudarem um determinado tema em casa. Você pode criar um canal no YouTube, por exemplo, e convide-os para fazer o trabalho de casa na sala de aula. Assim, você pode conhecer, de fato, quais são as maiores dificuldades e dúvidas dos estudantes.

Aprendizagem por meio de filmes: indique listas de filmes para que os seus alunos aprendam melhor sobre a sua disciplina. Veja a lista de 10 filmes para estudar a história do Brasil no dia da Proclamação da República que a Entretanto selecionou.

Compartilhamento do saber: estimule o debate entre os estudantes. Quando os alunos expõem suas opiniões em sala, eles desenvolvem o senso crítico, deixam de ser passivos, apenas ouvindo o que o professor diz, e passa a ser mais ativo e envolvido com os colegas. 

Entretanto

Entretanto Educação
Avalie o artigo
[Total: 0    Média: 0/5]
COMPARTILHE
PARTICIPE
Faça seu login
Avalie o artigo
[Total: 0    Média: 0/5]
COMPARTILHE