fbpx
31/07/2019

Como gerenciar a ansiedade dos alunos com a chegada de provas e vestibulares

Claudio Manuel Gonçalves da Silva Leite

A ansiedade é uma reação natural do corpo a situações de perigo. Qualquer pessoa pode se sentir ansiosa de vez em quando, sobretudo quando está passando por um momento de dúvida ou dificuldade. Por exemplo, o período pré-vestibular tradicionalmente está associado a sintomas de ansiedade em adolescentes, como nervosismo, angústia, insônia e tensão.

Por vezes, a ansiedade também inclui sintomas físicos, como crises de palpitações, tremores e sudorese. Dificuldade de concentração, inquietação, dores de cabeça, dores musculares e tonturas são sintomas típicos de ansiedade em estudantes que se preparam para o vestibular, sobretudo nos meses anteriores à realização da prova. Além da ansiedade, sintomas depressivos, como tristeza, choro e falta de energia, também são comuns em pré-vestibulandos.

Alguns estudos indicam que indícios de transtorno depressivo estão presentes em até 45% dos estudantes de segundo ano, terceiro ano e cursinho pré-vestibular. A sensação de obrigação em ser aprovado e o fato de considerar a aprovação como algo decisivo na vida são fatores que podem contribuir significativamente para transtornos mentais em jovens pré-vestibulandos. Além disso, o medo da reprovação, o elevado número de candidatos por vaga e a cobrança da família por aprovação também são aspectos ansiogênicos.

Medidas simples, como a prática regular de exercícios físicos aeróbicos e a diminuição do consumo de café e bebidas estimulantes, podem ser úteis no alívio da ansiedade. Além disso, técnicas de respiração controlada e exercícios de meditação também ajudam. Se existe extrema dificuldade em controlar a ansiedade, é preciso consultar um médico psiquiatra. Sentir-se extremamente ansioso a maior parte dos dias continuamente há mais de seis meses pode ser indício de um transtorno de ansiedade.

Quando o nervosismo gera impacto em atividades do dia a dia, por exemplo impedindo o adolescente de concluir tarefas ou cumprir obrigações escolares, pode ser que a ansiedade tenha ultrapassado o limite da normalidade. Nesse caso, é necessário realizar um tratamento mais específico, que inclui acompanhamento psicológico e medicações.

A terapêutica será discutida pelo médico no momento da consulta, considerando as particularidades de cada caso.

*Dr. Claudio é psiquiatra e médico referenciado do Dr. Consulta.

Entretanto

Entretanto Educação
Avalie o artigo
[Total: 0    Média: 0/5]
COMPARTILHE
PARTICIPE
Faça seu login
Avalie o artigo
[Total: 0    Média: 0/5]
COMPARTILHE
Recomendados
Outras matérias da mesma editoria