27/08/2021

Como falar sobre diversidade nos ambientes de aprendizagem

O Dia Nacional da Visibilidade Lésbica, celebração criada por ativistas lésbicas brasileiras e dedicada à data do 1º Seminário Nacional de Lésbicas – Senale, que aconteceu em 29 de agosto de 1996, reforça que as diferenças sempre existiram e que cada vez mais ganham poder e voz por meio das lutas do movimento LGBTQIA+. São pessoas lutando e desejando serem respeitadas por ser e sentir e é o papel da educação transformar as dores dessa população em liberdade, da infância à vida adulta.

“É preciso permitir que as crianças brinquem e explorem todos os papéis dos gêneros que desejarem. A opressão a essa expressão pode ocasionar angústia, traumas e comportamentos impopulares, pois a pessoa não se sentirá a vontade para se expressar plenamente em situações sociais, seja heterossexual, seja homossexual ou transgênero”, disse a Marina López Moreira, editora New Skills da Pearson em artigo para a Entretanto.

O fato é que o ambiente escolar é o principal local para o desenvolvimento de crianças e jovens na sociedade. É nela que estudantes debatem os mais variados temas sociais. E este mesmo ambiente, que forma o aluno, muitas vezes, pode ser corresponsável pelo silenciamento de assuntos voltados para a diversidade e o acolhimento:

Listamos algumas dicas para adotar em sala de aula com os alunos:

  • Fale sobre diversidade além das efemérides;
  • Explique sobre a sigla do movimento LGBTQIA+: acesse aqui o Glossário da Diversidade
  • Leve referências para as aulas

LEIA TAMBÉM: Cinco conteúdos multiformatos para ampliar o repertório sobre diversidade

Já trabalhou a temática abordada de hoje em sala de aula? Mande para nós, queremos compartilhar histórias inspiradoras.

Entretanto

Entretanto Educação
Avalie o artigo
[Total: 0   Average: 0/5]
COMPARTILHE
PARTICIPE
Faça seu login
Avalie o artigo
[Total: 0   Average: 0/5]
COMPARTILHE
Recomendados
Outras matérias da mesma editoria