22/09/2021

Como a tecnologia ajudou a suportar as operações durante a pandemia

Apesar da distância física, vimos que a tecnologia foi o principal ativo que fez com que as pessoas continuassem conectadas durante a pandemia. E, se as projeções é que a tecnologia evoluiria em 5 ou 10 anos, vimos um crescimento exponencial acontecer em poucos meses.

Os recursos tecnológicos foram responsáveis por suportar as operações durante o período de crise em diversos segmentos – do trabalho remoto ao ensino online – e os times de tecnologia conduziram ações para fazer com que as engrenagens continuassem funcionando. Alexandre Luiz Dantas Grechi, especialista em tecnologia e plataformas globais na Pearson, contou à Entretanto quais estratégias foram adotadas pelo time da Pearson para atender às demandas de alunos, professores, funcionários e parceiros, quais soluções foram desenvolvidas e aprimoradas, os desafios e expectativas para os próximos anos:

Quais foram os maiores desafios que o time enfrentou no início da pandemia?
O maior desafio foi manter a cabeça no lugar para adaptar nossas ações para o novo normal, criando um plano que tinha que ser executado em poucos dias, que funcionasse para todos os alunos e funcionários e sem se deixar levar pelo clima de incerteza que tomou conta de todos. Tínhamos diversos cenários Brasil afora que precisavam ser atendidos sem interrupção para os clientes.

Quais foram as principais ações realizadas quando a crise chegou?
Para os alunos, procurar parceiros com tecnologia que atendessem o nosso volume de usuários, garantir que as plataformas digitais aguentassem a carga de acessos e para nossos colaboradores, trocar todos os computadores desktops por notebooks com os softwares instalados e configurados para o trabalho remoto.

Como o time de tech trabalhou para garantir que os seus colaboradores continuassem trabalhando de forma remota?
Ajudamos a transformar áreas que normalmente não faziam home office, como, por exemplo, o time de customer care, auxiliando na transição para 100% remoto, sem que isso prejudicasse o rendimento e o atendimento ao cliente. Também fizemos ações mais simples, como despachar computadores para o time de design.

E para os clientes e consumidores, quais soluções foram criadas (ou aprimoradas) durante a pandemia?
Investimentos em ferramentas de videoconferência para que as aulas pudessem continuar a ser ministradas sem interrupção, para que o aluno não fosse prejudicado ainda mais. Também trabalhamos para aprimorar e criar uma arquitetura das aplicações, para podermos atender de forma eficiente todos os usuários nos horários de pico. Fora que tivemos que adaptar nosso ecossistema para que ele funcionasse sem problemas em diversas categorias de telas e aparelhos, para garantir a mesma experiência de educação, seja lá qual for a realidade do aluno.

Houve alguma solução pensada especialmente para esse momento e/ou contou com mais procura?
A solução de sala de aula online e sua integração com os sistemas de aprendizagem foi pensada para esse momento, focando em manter a interação professor x aluno e acabou virando um novo produto internamente. Também aumentamos os nossos sistemas de monitoramento da saúde das aplicações, para podermos sempre estar um passo a frente caso houvesse uma falha e agir para remediar antes que o consumidor final sentisse isso.

Como podemos medir a real importância da tecnologia no período de crise?
Falando friamente, podemos medir pelos números de acesso que triplicaram durante esse período de pandemia, nos levando muitas vezes a algumas falhas absorvidas e tratadas como lições aprendidas, nos dando a oportunidade de melhorar a cada dia. Olhando para o viés humano, a tecnologia permitiu que continuássemos a viver, mesmo com o isolamento e mantivéssemos as interações acontecendo, mesmo que transpostas para a tela de um computador ou celular. Continuamos a cumprir nosso papel, de mudar a vida das pessoas por meio da educação.

A tecnologia na educação é uma tendência e o futuro da aprendizagem. Quais são os próximos planos da Pearson para atender às novas demandas?
Parafraseando McLuhan, o meio realmente é a mensagem, temos que focar em estar com os alunos em todos os seus dispositivos até nos tornarmos uma parte vital de suas vidas, quase automática em seus dias. Estamos trabalhando e experimentando novas tecnologias, como inteligência artificial, ensino adaptativo e reconhecimento de voz, para que possamos escalar para um número maior de estudantes em simultâneo. Também está em nosso radar a capacitação constante de nossos professores para poderem usufruir de todos os recursos que temos a disposição.

Colaboração

Avalie o artigo
[Total: 0   Average: 0/5]
COMPARTILHE
PARTICIPE
Faça seu login
Avalie o artigo
[Total: 0   Average: 0/5]
COMPARTILHE
Outras matérias da mesma editoria