16/12/2021

Carreira: a importância das abordagens de desenvolvimento ágil para as empresas

Se você faz parte do quadro de funcionários de uma empresa, certamente já ouviu falar sobre a importância das abordagens de desenvolvimento ágil para minimizar os riscos relacionados às incertezas dos projetos e conduzir imprevistos de maneira mais natural, rápida e eficaz. Essas metodologias são facilmente identificadas em startups e corporações menos conservadoras, como Netflix e Spotify, por exemplo.

Recentemente, a Pearson Latam trouxe a abordagem para sua equipe de Franquias. O chamado “Squad Wizard” reuniu talentos de times transversais da companhia e os dividiu em 3 times.  A PMO de Projetos da Pearson, Alessandra Pessoni, explica que a metodologia baseia-se, principalmente, na colaboração e autogestão das pessoas. “Nos squads não tem coordenador e gerentes e sim POs, que são pessoas do próprio grupo. Toda a gestão é feita pelo time e as decisões são coletivas”, disse.

Alessandra explica que pela multidisciplinaridade do Squad, as soluções para os problemas acontecem de forma mais ágil, observando muitos pontos de vista ao mesmo tempo. Mas, para tudo dar certo, é preciso que cada equipe tenha autonomia para tomar decisões e desenhar sozinho o caminho da solução. “Não adianta saber o que é squad se a gestão não preza por descentralização, transparência, valor às diversidades e constante evolução”, disse.

O projeto piloto ocorreu ao longo de 2021 e está em sua fase final de execução. Conversamos também o com o Diretor Comercial de Franquias da Pearson Latam, Anderson Estevão, para conhecer melhor o objetivo do programa e saber como foi a experiência  implementada com o time:

1.De onde surgiu a ideia de implementar o projeto?

Em um ambiente extremamente volátil e com mudanças muito rápidas, é necessário um framework que nos possibilite testar, errar, aprender e melhorar com velocidade.

2. Squads são mais do que grupos de trabalho, podem representar, inclusive, a mudança de cultura de uma organização tão tradicional como a Pearson. Qual é a importância de trazer o projeto para “dentro de casa”?

É uma mudança significativa para nós, pois, é natural vermos metodologia Ágil e Squads implementadas em startups e empresas de tecnologia, porém a motivação para implementação aqui na Pearson é a mesma: busca constante pela eficiência, simplificar caminhos e concentrar-se em gerar valor real para os clientes e negócio.

3.Quais foram os principais resultados e destaques percebidos na condução das atividades?

A mudança de mindset para mim é o maior destaque, digo isso, pois, é o que vai gerar valor no longo prazo para a companhia. Ver equipes interdisciplinares, colaborativas e auto-organizadas que antes estavam restritas à “sua parte” da jornada, focadas integralmente na construção de valor para o negócio. Não importa se o objetivo é ter processos mais eficientes, melhorar a experiência de consumo do nosso cliente, criar um novo produto ou escalar alguma ideia: todos do grupo, com seus diferentes pontos de vista e experiência estão construindo os caminhos que vão nos levar até lá.

4.Quais foram os pontos que precisam de atenção e serviram de aprendizado?

No geral as pessoas têm aversão ao erro, mas, o nosso aprendizado mostra que erros são bem-vindos: testar e estressar ideias e conceitos resulta no que chamamos de fracasso bem-sucedido, seja para definir o que não fazer ou lapidar uma ótima ideia com potencial de agregar valor em escala.

5. As atividades estão em reta final de construção. Quais são, portanto, os planos para o próximo ano? Pretendem continuar mantendo os grupos organizados?

É só o começo! Já tivemos resultados excelentes nesses primeiros meses e para 2022 expandiremos os Squads. Alguns foram tão bem-sucedidos que serão desdobrados em 2 ou até 3, dado o seu potencial de geração de valor, por isso, esse é um caminho sem volta, o plano é acrescentar outros 4 squads para organização em 2022 totalmente conectado com os nossos objetivos estratégicos.

 

Confira também as percepções dos POs que participaram do projeto: 

 

“Crescemos ao ouvirmos novas ideias, respeitar e debater ideias que discordamos , aprimorarmos nosso olhar sobre um determinado tema, saímos da nossa zona de conforto, buscamos alternativas , atuamos em frentes diferentes que requerem um maior grau de discernimento e direcionamento para que consigamos envolver todos e direcionar para o início, evolução e conclusão do projeto. É uma experiência formidável e enriquecedora”.

[Tricia Delcól]

[Foi uma experiência muito enriquecedora. A multidisciplinaridade e a autonomia foram fatores fundamentais para que pudéssemos sair da caixa e enxergar novas soluções. Sou muito grato por poder participar desse projeto.

[Marcos Tulio]

“Acompanhamos o desenvolvimento pessoal e profissional dos integrantes através das interações e discussões para as resoluções dos problemas levantados dentro do squad. Trouxemos como evolução a nossa própria metodologia com traços de scrum e design thinking que nos possibilitou ser mais assertivos, criativos e ágeis para executar os projetos”.

[Jessica da Silva]

“Certamente, posso afirmar que esse modelo de trabalho potencializou o meu desenvolvimento profissional e pessoal, pois o trabalho em equipe pode proporcionar sucesso em qualquer área da vida”.

[Ana Carolina Santana]

“O Squad possibilitou principalmente, aprender mais sobre a nossa Marca Wizard, as particularidades de cada área, me ajudou a ouvir mais e que não existe ideia ruim ou errada, que em cada ideia compartilhada, podemos aproveitar vários insigths  para construção de um único projeto, criado com várias mãos”.

[Felipe Duarte]

“Entre outros aprendizados, o networking estabelecido com os demais membros ajuda a conhecer mais a fundo a companhia, as áreas e suas responsabilidades, removendo barreiras de atuação e comunicação no dia a dia”.

[Vinicius Rocha]

Entretanto

Entretanto Educação
Avalie o artigo
[Total: 0   Average: 0/5]
COMPARTILHE
PARTICIPE
Faça seu login
Avalie o artigo
[Total: 0   Average: 0/5]
COMPARTILHE
Outras matérias da mesma editoria