17/05/2019

Bett Educar 2019 apresenta a história da Escola Dulce

Entretanto

A Escola Municipal Dulce de Faria Martins Migliorini não é a mesma desde 2016 quando firmou parceria com o Instituto Península. A diretora de desenvolvimento Mariana Breim, subiu ao palco junto com Fabiana Costa, diretora da unidade escolar, para inspirar a plateia com essa história transformadora.

Mariana começa contextualizando as situações que vivemos nos dias de hoje. “Estamos em um mesmo mundo e em lugares distantes, mas experimentamos as mesmas situações”, ressalta enquanto fala sobre depressão, ansiedade, violência e outros assuntos relacionados ao século 21. “Estamos desconectados de nós mesmos e a escola falha quando perde a noção da importância da relação entre os indíviduos”, completa.

A partir daí, questiona a plateia sobre o papel da Educação nesse contexto. “A escola faz parte de todo o sistema, ela não está sozinha”, e segue exemplificando o seu relato com uma frase de Ken Robinson: “Todos os sistemas educacionais tem a mesma hierarquia de conteúdos”. Na tela, uma imagem demonstra que o ensino de Matemática e Linguagens está sempre ocupando mais espaço ao considerarmos artes e humanidades.

Mariana finaliza a apresentação com uma frase que questiona e inspira ao mesmo tempo.” Não existe uma única solução para mudar a Educação no Brasil, mas nós podemos inspirar, e quando formos muitos, a mudança terá acontecido”.

Experiência Instituto Península

A Escola da Toca foi um projeto experimental iniciado em 2009 que teve como resultado a criação de uma abordagem inovadora, baseada em três principios: inspiração na natureza, respeito e apreciação da cultura da infância e o desenvolvimento integral. “Tinhamos 40 alunos de 2 a 6 anos dentro de uma fazenda de orgânicos onde aplicamos essas ideias”, ressalta Mariana. O sucesso da proposta levou o Instituto Península a aplicar o conceito em uma unidade do estado e a Escola Dulce foi a selecionada. “Fazíamos muitas ações no município de Itirapina e a unidade avançava lentamente”, completa.

Com a parceira instaurada, começaram os desafios e quem sobe ao palco para falar sobre o assunto é a diretora Fabiana Costa que inicia sua fala ressaltando o senso de coletividade. “Nada foi imposto, o Instituto trouxe ideias e souberam ouvir as nossas propostas, desenvolvemos todas as ações dentro da nossa realidade”.

Fabiana mostrou os pontos criados com a parceria:

  • Todos são educadores
  • Criação de momentos semanais para ouvir todas as equipes
  • Decidem todos juntos
  • Em qualquer decisão, toda opinião e sentimento é relevante
  • Engajam a comunidade
  • Acreditam em parcerias com outros orgãos municipais
  • Desenvolvem as crianças integralmente
  • Aprendem e compartilham experiências com outras escolas
  • Criam assembléias para discutir problemas apontados de forma anônima

Os resultados depois da implantação são positivos: 90% dos alunos passaram a gostar mais da escola e 94% das famílias perceberam que seus filhos estavam mais felizes. Depois de explicar cada ponto, Fabiana ressalta que os caminhos são dificeis. “Não foi um processo fácil, pensamos em desistir, mas quando existe um objetivo em comum, tudo é possível”, finaliza.

 

Entretanto

Entretanto Educação
Avalie o artigo
[Total: 0    Média: 0/5]
COMPARTILHE
PARTICIPE
Faça seu login
Avalie o artigo
[Total: 0    Média: 0/5]
COMPARTILHE
Recomendados
Outras matérias da mesma editoria