26/10/2021

Velho mesmo é achar que é tarde demais para aprender algo novo

Por: Contente

Contente

“Não posso transicionar de carreira nessa idade”, “Criar conteúdo depois dos 50?!”, “Tô velh@ demais para aprender isso”. Conta pra gente: quais dessas frases você já falou ou ouviu de outras pessoas por aí? A sociedade de mercado e a obsolescência programada fizeram a gente acreditar que tem idade limite até para aprender – e que nós somos apenas mercadorias com prazo de validade na prateleira.

Mas o fato é: apesar das dificuldades estruturais que pessoas mais velhas encontram no digital (interfaces complexas, linguagem pouco acessível etc.) e fora dele (idadismo, mercado de trabalho fechado, falta de inclusão), os espaços de aprendizagem e mercado estão cada vez mais sendo ocupados por seniores. E nós não estamos falando apenas de categorias de trabalho, como explica a pedagoga Filomena Brandão: “Os mais velhos estão retornando à sala de aula nas universidades, aos cursos técnicos, aos supletivos, sendo autodidatas e quebrando o preconceito de que pessoas com mais idade não podem aprender coisas novas”.

Todos nós precisamos nos reinventar. Diante do aumento da expectativa de vida e do avanço da tecnologia, a pedagoga aconselha que aprendamos a olhar com mais naturalidade para a nossa própria aprendizagem: “Um dos pontos que precisamos aprender com as crianças e os adolescentes é não ter medo de experimentar, de mexer no que desconhece, de quebrar um aparelho eletrônico porque não sabe usá-lo, de encarar o novo com naturalidade. Fomos educados em um tempo em que errar era proibido, sendo que o processo de aprendizagem passa pela tentativa e erro”.

A convite da Pearson, queremos lembrar que sempre é tempo de aprender e de tentar coisas novas, afinal, velho mesmo é achar que é tarde demais para se permitir a aprender algo novo. Agora, diz pra gente: o que você já deixou de aprender ou de fazer por se achar velho demais? E aos mais jovens: você já se pegou reproduzindo falas como essas?

LEIA TAMBÉM: Quem quer viver em um mundo onde pessoas têm prazo de validade?

LEIA TAMBÉM: Os 60+ e o aprendizado na internet: um guia para todos

*Este material foi produzido pela Contente, a convite da Pearson. Para mais conteúdos relacionados à internet, bem estar nas telas e educação digital acompanhe a Contente no instagram @contente.vc e o movimento #ainternetqueagentequer no site www.ainternetqueagentequer.com

Colaboração

Avalie o artigo
[Total: 0   Average: 0/5]
COMPARTILHE
PARTICIPE
Faça seu login
Avalie o artigo
[Total: 0   Average: 0/5]
COMPARTILHE
Outras matérias da mesma editoria