15/07/2021

Mulher Negra: inclusão e empreendedorismo materno

Por: Adriana Barros

Gênero, classe, cor, maternidade e deficiência são condições que podem carregar uma série de particularidades quanto ao acesso à inclusão social e à cidadania.

Em uma sociedade marcada por resquícios da escravidão e envolta em acontecimentos regidos pelo sexismo, a mulher negra, mãe e tendo filho com deficiência vê-se em constantes batalhas. Ela carrega em si o estado permanente de um soldado combatendo em ambiente hostil.

Essa mulher vem, cada vez mais, apostando no empreendedorismo para substituir danos morais e psicológicos centenários por sentimentos de conquista e realização. A possibilidade de assegurar boas condições à sua família, principalmente aos filhos, impulsiona a busca por estudo e aprimoramento. 

Empreender por necessidade é um dos itens levantados para compor o perfil da empreendedora brasileira. E quem mais que uma mãe para entender essa necessidade? 

Além de passar a enxergar valor em suas habilidades e experiências, que realmente impactam o mundo de maneira positiva, é possível se valer de leis que combatem a exclusão e do olhar ampliado de organizações conscientes para que portas antes fechadas pelos preconceitos, abram-se e, finalmente, a própria sociedade ganhe, usufruindo dos inúmeros talentos que a resistência e resiliência trouxeram à ela.

Adriana Barros é mãe do jovem autista Arthur, empreendedora na ABarros Editora, fundadora do projeto social Esperança de um Mundo Inclusivo e parceira da Bibot, biblioteca virtual e interativa da Pearson.

Colaboração

Avalie o artigo
[Total: 0   Average: 0/5]
COMPARTILHE
PARTICIPE
Faça seu login
Avalie o artigo
[Total: 0   Average: 0/5]
COMPARTILHE