Como usar o celular em sala de aula?

por: Camila Achutti

Essa é a pergunta que eu mais escuto em termos práticos durante as palestras e andanças por aí. Os questionadores se colocam numa posição confrontadora, como se eu não soubesse o que eles passam em sala de aula se os alunos estiverem com o celular ligado.

Eu sei! Sei como ninguém, pois durante as formações e palestras para eles mesmos eles ficam com o celular na mão, tiram foto, olham o whatsapp, ficam loucos com as notificação. Eles mesmos. Sempre peço um momento estátua para que eles possam refletir sobre seus próprios conceitos.

Os celulares são extensões do próprio corpo para os nativos digitais. E não é a Camila falando, foi o sr. Marc Prensky (aliás leiam o livro dele, intitulado “Nativos Digitais”). Pedir para que eles desliguem essas extensões não é a situação mais confortável para eles, certo?

Então separei algumas dicas para vocês. Mas a essência é: ocupe o celular do jeito que você acredita que será mais proveitoso. E aí vão algumas possibilidades (lembrando que elas são inúmeras e só dependem da sua imaginação):

Busca por informação: essa é a mais simples de todos os usos. Invente a posição do Guardião da Verdade, o Guardião da Curiosidade e faça deles uma espécie de exploradores das informação. Estudantes e professores podem consultar dados específico em segundos.

Para realizar Quizzes e Testes: essa é uma das mais legais. Durante a aula, os alunos podem realizar, confortavelmente a partir do celular, pequenos testes e simulados previamente criados pelo professor. Desta forma, o professor pode obter em tempo real informações sobre o conhecimento de seus alunos e a eficácia da sua explicação. Além de deixar a aula mais leve. Tem um milhão de formas e apps disponíveis.

Repositórios de Sinônimos e Dicionário: dicionários não são a coisa mais prática do mundo, já celulares são incríveis que permitem tirar qualquer dúvida instantaneamente.

Cronômetro: aulas, exercícios, testes e apresentações sempre são mais produtivas se tiverem hora para começar e terminar. Se eles tiverem que deixar o celular no cronômetro, perder tempo no Whatsapp vai ser quase impossível.

Gravador: com o celular podemos gravar explicações do professor em sala para ser consultada posteriormente, ou até fazer trabalhos que envolvam entrevistas e vídeos. Lembrando que sempre devemos pedir permissão para fazer esse tipo de gravação.

Calculadora e Gráficos: alguns aplicativos permitem realizar todas as operações próprias de uma calculadora científica, gerar gráficos e se tornar ótimos aliados no aprendizado de matemática e aquisição de visão espacial.

Controlar o ruído na sala de aula: sabia que seu telefone celular pode dizer quando o nível de ruído ultrapassa os limites estabelecidos. E aí vira uma competição entre eles e podemos até fazer algumas tentativas de deixar eles trabalharem independente monitorando o silêncio 🙂

Entender produtividade: existem apps que medem o tempo dedicado a uma tarefa específica e assim podemos entender e discutir como anda nossa produtividade, o que pode ser útil para professores e alunos.

Agora é hora de testar, errar, testar de novo e ser feliz : )

Receba nossa News