fbpx
11/06/2020

4 referências para abordar a cultura afro-brasileira na sala de aula

Com o objetivo de promover a reflexão sobre as construções sociais, políticas, históricas, e culturais sobre os sentidos atribuídos ao ser negro, o artigo elenca 4 pessoas que contribuíram com a história brasileira. Esses nomes por muitas vezes são esquecidos. Esse esquecimento faz parte da estrutura social que tenta, a todo momento, omitir a identidade negra do país. Para tornar visíveis toda a luta e história afro-brasileira, separamos 4 nomes que foram importantes no movimento. Inspire-se e compartilhe em sua aula!

5 histórias que merecem ser compartilhadas no ambiente escolar:

Maria Firmina dos Reis

A escritora foi a primeira romancista negra no Brasil. Seu primeiro livro publicado foi “Úrsula”, que retrata a história abolicionista na literatura brasileira. Todos as obras escritas tinham foco na denúncia da escravidão. Além de autora de livros, Maria Firmina dos Reis foi uma educadora em uma escola do Maranhão, onde destacou-se por fundar uma escola mista – de meninos e meninas.

Machado de Assis

Conhecido pelo seu dom autodidata, o escritor Machado de Assis foi um dos maiores escritores negros do Brasil e o primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras. O autor de muitas obras-primas, como Dom Casmurro, nunca chegou a entrar em nenhuma universidade devido à falta de dinheiro. Porém, o carioca, mesmo sem essa educação formal, marcou a literatura brasileira e os grandes jornais.

Dandara dos Palmares

Muitos conhecem o quilombola brasileiro Zumbi dos Palmares, mas poucos sabem o papel que Dandara dos Palmares teve na história e luta negra. A esposa do guerrilheiro é conhecida pela sua luta árdua contra o sistema escravocrata. Ela fazia parte das atividades produtivas, na produção de mandioca e milho, e caçava. Por diversas vezes, Dandara dos Palmares liderou forças femininas no Brasil contra os ataques portugueses.

Teresa de Berenguela

Teresa de Berenguela foi uma importante liderança feminina do Quilombo Quariterê, em Mato Grosso. Sua história ainda é cercada de mistérios. Alguns dizem que Teresa veio de Angola, outros historiadores provam que ela nasceu no Brasil. Mas, o que importa mesmo foi o seu papel fundamental no desenvolvimento de um parlamento, a força de sua liderança no Quariterê e sua atuação em lidar com parcerias comerciais.

Quer saber mais atividades para debater a questão racial em sala de aula? Veja 5 recursos que preparamos para você! 

Andriele Moraes

Avalie o artigo
[Total: 0    Média: 0/5]
COMPARTILHE
PARTICIPE
Faça seu login
Avalie o artigo
[Total: 0    Média: 0/5]
COMPARTILHE
Outras matérias da mesma editoria