Projeto de robótica educacional

por: Raimundo Abreu

Sou professor de Matemática na 00, de Campo Maior, no Piauí.

 

O crescimento atual da robótica tanto educacional como competitiva, nos leva a crer que este setor merece uma atenção maior e específica. Pensando nesta disciplina, que nos três últimos anos invadiu as escolas brasileiras e desperta real interesse entre jovens de todas as idades e adultos, decidi criar um projeto educacional específico na área de Robótica: o “Laboratório de Robótica Educacional”, voltado a alunos do ensino fundamental e médio, que acontece nos horários inversos às aulas. Ele envolve cerca de 100 alunos, monitores e corpo docente da escola.

 

A inserção de recursos tecnológicos como forma de ferramenta na educação é um dos grandes debates abertos no Brasil. Em países de primeiro mundo, esse assunto já foi superado, afinal, a maioria da população já tem acesso aos recursos, como computador, internet e programas educativos nas escolas e até na própria residência. Por outro lado, a realidade brasileira aponta para o uso intenso de soluções educacionais, abrindo, assim, um campo interessante para disseminação de recursos tecnológicos a baixo custo para governos e entidades.

 

Atualmente, o computador é usado como ferramenta de captação de informações, ou seja, uma biblioteca mais fácil, rápida e atrativa. Entretanto, aliar o computador aos programas específicos para o ensino, e equipar os laboratórios com estrutura adequada, como a robótica, é um salto de qualidade evidente.

 

Atualmente, a robótica vive um novo cenário definido como robótica 2.0, que agrega em sua concepção uma fundamentação pedagógica muito mais profunda, a utilização de matéria open source e o desenvolvimento de uma robótica aplicada, que realmente se some aos conhecimentos já adquiridos e que seja capaz de empoderar o indivíduo na construção de soluções próprias, ou, em outras palavras, com a cultura maker.

 

O objetivo geral desta minha proposta é promover a escola pública como espaço de educação integral da comunidade na qual ela está inserida, em prol do desenvolvimento da sensibilidade e criatividade humana, por meio do contato com a linguagem de programação e a robótica educacional, visando a formação do cidadão capaz de contribuir ativamente com as mudanças socioculturais necessárias para a construção de uma sociedade mais ética e digna. A robótica é um poderoso instrumento que desenvolve o pensamento intelectual, o trabalho em grupo e o raciocínio lógico dos alunos, além da concentração, coordenação motora, sociabilização, o respeito a si próprio e ao grupo, a destreza do raciocínio: a disciplina pessoal e inúmeros outros atributos que colaboram na formação do indivíduo.

 

Objetivos específicos:

 

  • Desenvolver a percepção com as novas tecnologias;
  • Promover no educando o estudo de conceitos multidisciplinares, como: matemática, física, entre outras;
  • Criar oportunidades para os alunos e diminuir seu tempo ocioso;
  • Desenvolver a autoestima dos alunos;
  • Ser um projeto piloto que, através dos resultados, sirva de estímulo para que se desenvolva projetos semelhantes em outras escolas;
  • Preparar equipes para participar da OBR (Olimpíadas Brasileira de Robótica);
  • Estimular a criatividade e a inteligência, e promover a interdisciplinaridade
  • Explorar aspectos de pesquisa, construção e automação.
  • Disponibilizar 20% das vagas para filhos de trabalhadores da indústria e comércio da cidade.

 

A robótica educacional não se insere nesse modelo de repetições, pois demanda a participação do grupo de alunos na concepção e modelagem do problema e da solução. O resultado esperado é um projeto, em forma de maquete, que demonstre os conceitos discutidos e aprendidos em sala de aula e no cotidiano do grupo.

 

Acredito que a educação vai além da simples visão reducionista de ensinar a ler, escrever e focar somente na  formação profissional. Mais que isso, a escola precisa se comprometer com a cidadania, formando seres humanos plenos e pensantes que, certamente, terão mais oportunidades na sociedade contemporânea. Nessa visão de uma educação que busca a formação plena do aluno, há uma gama de possibilidades de ações e trabalhos que podem ser realizados com foco na criação de oportunidades. Isso deve ser feito por meio do incentivo à criatividade e ao conhecimento de boas experiências realizadas em outras localidades que podem ser adaptadas ao contexto local de cada município.

 

De forma ampla e conceitual, a robótica educacional amplia a possibilidade de aplicação pedagógica das tecnologias, e hoje cresce de forma exponencial, considerada multidisciplinar, ou seja, auxilia a aplicabilidade de aprendizagem de disciplinas de base como matemática, física, português, ciências, entre outras. Como, por exemplo, temos as experiências em que as atividade de robótica educacional motivam e encorajam os alunos a resolverem problemas autênticos, que são significativos para eles, proporcionando a oportunidade de vivenciarem a experiência de buscarem soluções. Pesquisadores argumentam que uma abordagem instrucional, guiada por robôs, facilita o trabalho em equipe, desenvolve a compreensão conceitual e melhora o pensamento crítico.

 

É de amplo conhecimento que a vivência desta prática é considerada um meio moderno e eficiente de aplicar a teoria piagetiana em sala de aula. O aluno é levado a pensar na essência do problema, assimilando-o para, posteriormente, acomodá-lo em sua perspectiva de conhecimento. Todo o processo de construção de um experimento robótico leva a questão abordada pelo biólogo Jean Piaget: o professor também deixa de ser o único e exclusivo provedor de informações para tornar-se o parceiro no processo de aprendizagem.

 

 

 

Por meio da “Robótica Educacional”  há a possibilidade de se proporcionar ao educando a vivência com outros tecnologias. Destaca-se a oportunidade de novos conhecimentos na área de tecnologia da informação e atividades de raciocínio lógico. Com isso, também poderemos trazer as famílias para dentro do espaço escolar, aproveitando a oportunidade para conversar sobre o aproveitamento escolar das crianças e jovens. Por meio da participação dos filhos de trabalhadores da indústria e do comércio, viabilizamos a participação destas famílias no mundo da tecnologia, que já é uma ferramenta essencial para diversos setores da sociedade.

 

A implantação do projeto vem também para despertar os interesses de alunos em algumas área de atuação profissional, já que envolve temáticas como: Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Engenharia de Programação e outras. A contemplação de projetos como esse proporciona a esses alunos mais um caminho para o seu futuro.

 

Em apenas três meses de aplicação, o projeto já nos mostra alguns resultados. Temos, em nossa turma,  um aluno com autismo, no qual já podemos ver um aumento em sua interação com outros alunos.

 

Sabe-se que a prática da robótica torna os alunos mais disciplinados, concentrados, motivados e responsáveis em sala e, também fora da escola. Com tudo isso, por intermédio do projeto, espera-se que o amor e apreço pela novas tecnologias irradie do ambiente escolar, indo para dentro da casa de cada aluno e para o dia a dia de nossa comunidade de modo geral, visando, entre outras coisas, o crescimento humano.

 

+ Leia mais: A menina de 9 anos que lidera uma equipe de robótica. 

 

++ Leia mais: Além das tendências.

Receba nossa News

A Educação é feita da união de conhecimentos. Preencha seu e-mail e receba nossos conteúdos atualizados!

*Não lote sua caixa de e-mail. Nossas newsletters são enviadas quinzenalmente e trazem um resumo dos melhores conteúdos publicados.