Problemas de aprendizagem que abrem portas para o avanço digital

por: Entretanto

Catherine Medrano sempre quis ser professora. “Os professores foram exemplos em minha vida. Tive muita sorte em ter professores que enxergaram algo em mim – o semelhante dom de ensinar”, recorda ela. Catherine pensou que se tornaria professora de ensino fundamental, mas tudo mudou quando ela ingressou na faculdade.

 

No início de sua carreira letiva, ela lecionava Sociologia, durante meio período, na Fresno City College, uma instituição de ensino superior norte-americana. Foi um início conturbado: “Eu havia realizado o meu sonho de me tornar uma professora, mas não sentia que meus alunos estavam aprendendo”.

 

Ela estava onde queria estar — mas por que eles estavam indo tão mal?

 

“Eu estava tendo uma crise existencial”, reflete ela.

 

Uma situação desesperadora

 

Catherine fez o que pôde para ajudar seus alunos a obterem sucesso. “Criei guias de estudo e os distribuí antes das provas”, conta ela. “Às vezes, eu até permitia que os alunos utilizassem estes guias durante a prova.”

 

Nada funcionou. Ela recorda que a média das notas das provas de seus alunos permanecia baixa. Era um grande problema – seria a solução simples?

 

“Por fim, percebi que o problema era que meus alunos estavam vindo para a aula despreparados – eles não completavam as tarefas nem faziam as leituras prévias”, conta ela. Neste ponto, Catherine começou a considerar seriamente o uso das ferramentas de aprendizagem digital para chamar a atenção de seus alunos.

 

Opções digitais

 

A princípio, Catherine estava apreensiva sobre a utilização de um material didático digital.

 

“Eu não confiei na tecnologia e não estava habituada à ela durante minha própria experiência de aprendizagem. Quantas vezes tive que ir à biblioteca para fazer pesquisas? ”, conta.

 

Ainda assim, ela sabia que a aprendizagem estava mudando.

 

Quanto mais Catherine considerava o que seria melhor para seus alunos, mais as ferramentas digitas começavam a fazer sentido:   “Muitos dos meus alunos eram pais que trabalhavam em tempo integral, ou jovens adultos de famílias de baixa renda. Eles tinham entraves significativos em relação à sua educação. Mas uma coisa era fato: todos eles tinham acesso à internet”.

 

0

 

Leia mais: Conectada a sala de aula com a realidade aumentada.

 

Assista: Tecnologia e o universo digital em sala de aula.

 

Uma transformação milagrosa

 

Nos próximos três anos de carreira, Catherine passou a fazer diversos cursos e a estudar formatos digitais. Ela começou a usar o Revel, uma ferramenta de aprendizagem interativa da Pearson, que fornece aos alunos uma plataforma para a leitura dos materiais do curso, completar tarefas e se comunicarem com os professores. Segundo ela, o Revel trouxe uma nova dimensão para seu ensino — e para a aprendizagem de seus alunos.

 

“Comecei a usar os questionários imediatamente, que eram feitos por questões relacionadas às disciplinas atribuídas,” diz Catherine. O efeito foi quase instantâneo: seus alunos começaram a ler.

 

“Eles vinham para a aula com os materiais atribuídos lidos e preparados para se envolverem em discussões significativas. Eu fiquei tão emocionada que liguei para o meu representante da Pearson para dizer: ‘Isto é um milagre!’ ”

 

Em apenas um semestre, a média das notas das provas da sala de Catherine saltou de 67% para 83%.

 

Um impacto de longo alcance

 

Olhando para trás, Catherine conta que os benefícios de uma plataforma digital associado à sua abordagem de ensino vai muito além de apenas fazer seus alunos lerem. Ela percebeu que seus alunos se envolviam mais nos assuntos debatidos em sala de aula.

 

“Certo dia, um aluno veio falar comigo após a aula para dizer o quanto ele estava animado para escrever uma redação. Este tipo de ansiedade vem do entendimento do material do curso. Ele se tornou mais interessado no assunto, pois pôde associar suas leituras às discussões em sala de aula”.

 

Ela inseriu redações com autoavaliações instantâneas em seu arsenal digital, e seus alunos começaram a desenvolver melhor suas habilidades de escrita: “Isto se tornou tão benéfico para os meus alunos. Levo semanas para corrigir as redações. Desta maneira, eles podem continuar pensando e escrevendo, mesmo obtendo feedbacks instantâneo — eles adoram”, comemora

 

Acompanhando a tecnologia

 

“É de nossa responsabilidade, como educadores, encontrar maneiras melhores de envolver nossos alunos”, diz Catherine. Todo semestre, ela reserva um tempo para avaliar a estrutura de sua turma e pensar em novas maneiras de utilizar ferramentas digitais para ajudar seus alunos a obterem o sucesso.

 

“Sinto que a tecnologia está sempre mudando e atualizando. Quanto mais atual e oportuno forem os materiais do curso, mais os alunos sentem o impacto.” Atualmente, ela é professora em tempo integral na faculdade das Sequoias, também nos Estados Unidos.

 

“Como uma educadora, o critério final é o sucesso do aluno. Ensinar é — e sempre será — uma profissão de contato intenso. E é isso que torna a tecnologia uma ferramenta tão poderosa na sala de aula, pois quando a alta tecnologia é utilizada para estabelecer este contato, é possível se conectar aos alunos dentro da sala de aula e além dela”, conclui Catherine.

 

Texto originalmente publicado em Pearson Learning.

Receba nossa News

A Educação é feita da união de conhecimentos. Preencha seu e-mail e receba nossos conteúdos atualizados!

*Não lote sua caixa de e-mail. Nossas newsletters são enviadas quinzenalmente e trazem um resumo dos melhores conteúdos publicados.