Modelos de ensino compartilhado que funcionam em um ambiente de inclusão

por: Entretanto

27Similar à distribuição aleatória de assentos em um voo, as atribuições de um professor em sala de aula podem ser imprevisíveis. Ao iniciar um novo ano letivo, uma das mais emocionantes partes é saber a distribuição da equipe e ver com quem você irá trabalhar mais próximo.

Se você nunca lecionou em uma classe de aula inclusiva antes, ver a distribuição pode causar apreensão, especialmente quando você está combinado com um professor que você nunca tenha trabalhado antes. Quando isso acontece, você tem que fazer uma escolha de como promover uma relação forte com o seu co-professor, que será o seu maior trunfo para o próximo ano letivo.

Classes de aula inclusivas são obrigatórias pela lei IDEA (1975 Individuals with Disabilities Education Act). De acordo com Art Shapiro em Education World, classes inclusivas podem beneficiar todos os tipos de alunos quando o apoio está presente. Shapiro diz em Education World, que as salas de aula inclusivas melhoram a aprendizagem, tanto para alunos de educação especial, quanto para alunos sem dificuldades de aprendizagem. Estar em uma sala de aula com diversos os tipos de alunos, ajuda a mostrar aos estudantes como aceitar diferenças individuais logo cedo, assim como, ajuda estudantes a desenvolver novas amizades. (Special Education Inclusion, n.d.)

O que é inclusão?

Inclusão se refere a classe de aula que possui um grupo diversificado de estudantes com uma variedade de necessidades. Usualmente, inclusão significa uma mistura de estudantes da educação regular com estudantes com planos de educação individualizada (IEPs – Individualized Education Plan). Pode ser também, estudantes da educação regular com estudantes que são (English Language Learners – ELL), ou de segunda língua inglesa (English Second Language – ESL). Salas de aula inclusivas não são classes somente de educação especial, ou somente de aprendizes da língua inglesa, e certamente não são destinadas a ser um ambiente exclusivamente para estudantes com problemas de comportamento. Normalmente, em um ambiente de inclusão, existem dois professores para prover um suporte extra para os estudantes que precisam, ou para aqueles que o plano acadêmico exija.

O ensino compartilhado é algo que leva um tempo para se acostumar. A parte mais importante de trabalhar com um outro professor é encontrar qual o modelo de ensino compartilhado funciona para a sua classe de aula, de maneira que seja o melhor para seus alunos.

Como o ensino compartilhado funciona
Existem muitos modelos diferentes de ensino compartilhado que funcionam de maneiras variadas. Encontrar qual funcionará para você e seu parceiro é um processo de tentativa e erro. A boa prática sugere o modelo de ensino compartilhado escolhido deve se adaptar, baseado no conteúdo e na lição que será ensinada no dia. Se você se mantêm consistente na gestão da aula e com as regras da classe, trocar o modelo de ensino compartilhado pode ser benéfico para o seu plano de aula. Uma vez que você se acostumar com o estilo de trabalho de cada um, criará uma sala de aula eficiente e fluida quanto a transição papéis.
Modelos de ensino compartilhado que funcionam
Ensino Paralelo: o ensino paralelo se refere a dois professores ensinando o mesmo conteúdo simultaneamente em uma sala de aula. O propósito deste modelo é reduzir a quantidade de alunos por professor, enquanto se entrega o mesmo conteúdo. Este modelo de ensino pode ser benéfico para identificar necessidades dos alunos e permitir aos alunos um ambiente mais próximo para ajudar a criar um nível de conforto elevado entre os colegas. O espaço físico pode ser uma barreira nesta configuração, porque algumas vezes duas pessoas falando ao mesmo tempo pode causar distração. A sugestão para aliviar este problema poderia ser ensinar o mesmo conteúdo, porém agendar as lições que cada grupo faz em diferentes horários. Por exemplo, se um professor está dando conteúdo, o outro professor terá os alunos fazendo tarefas e, assim, ir alternando.Estação de Ensino: o ensino por estação é quando os professores distribuem o conteúdo em diferentes estações ao redor da sala de aula. Cada professor se torna um especialista um uma parte do conteúdo e coordena uma estação. Durante o curso da aula, os alunos circulam pelas estações de modo a receber todo a matéria que eles precisam. Este modelo exige um intenso gerenciamento da sala de aula, pois os alunos estarão se movendo livremente pela sala, enquanto cada professor estará trabalhando com pequenos grupos. Uma maneira de usar este modelo efetivamente, seria criar diversas estações onde os alunos pudessem trabalhar independentemente, para reduzir o tamanho dos grupos nas estações em que os alunos irão trabalhar com os professores. (Co-teaching connection, n.d.)Ensino Alternativo: o Ensino Alternativo se refere a um professor trabalhando com a maioria dos alunos, em uma configuração de classe cheia, e o segundo professor leva um pequeno grupo de alunos para fora da sala de aula, ou para uma área da sala de aula, para trabalhar junto com o pequeno grupo. No menor grupo, o segundo professor pode tanto lecionar o mesmo conteúdo, enquanto provém um apoio extra para alunos que precisam, quanto atender às necessidades individuais do aluno ou lacunas no conteúdo acadêmico. Algo para se ter em mente é que é importante que os alunos não se sintam excluídos, e que eles não se sintam rotulados por trabalharem mais com um professor do que com o outro. Meu co-professor e eu alternamos estrategicamente os grupos e nos revezamos para trabalhar com os grupos menores, para que nossos alunos nunca sintam um certo estigma em trabalhar nos grupos pequenos.Um ensina, outro assiste: este modelo funciona quando o conteúdo precisa ser ministrado para a classe toda. Enquanto um professor ensina a lição, o outro caminha pela sala respondendo a perguntas dos alunos, mantêm os alunos atentos e ajuda os alunos em necessidades específicas. Uma sugestão simples poderia ser fornecer aos alunos notas adesivas no início da aula para anotarem perguntas enquanto a lição está sendo dado. Como o segundo professor caminha pela sala, ele ou ela pode facilmente responder questões sem interromper a aula.
Como podemos melhorar as salas de aula inclusivas?
Se salas de aula inclusivas não são operadas eficientemente, ou os professores não estão bem treinados em prover apoio para os estudantes com necessidades especiais de aprendizado, a sala pode se tornar um lugar para problemas comportamentais, o que pode ser obstrutivo ao aprendizado. Embora classes inclusivas que possuem suporte apropriado tem se mostrado benéficas ao aprendizado, não há estudos suficientes para demonstrar os benefícios de longo prazo dessas salas de aula inclusivas (Special Education Inclusion).A fim de proporcionar a todas as crianças a educação que eles merecem, mais pesquisas sobre a inclusão na educação é necessária. Não só precisamos de mais pesquisas, mas os professores precisam de mais formação na prestação de apoio para alunos com diferentes estilos de aprendizagem e necessidades de aprendizagem individuais. Em particular, agora que a tecnologia tem mais relevância em sala de aula, professores precisam mais treinamento e estudo sobre os benefícios do uso da tecnologia, para proporcionar suporte individualizado em contextos de inclusão.
Referências:
How IDEA Protects You and Your Child. (2014, April 11).  Acessado em 01 de dezembro de 2015.
Special Education Inclusion. (n.d.). Education World. Acessado em 01 de dezembro de 2015.
Co-Teaching Connection – Resources. (n.d.).,  Acessado em 01 de dezembro de 2015.

 

Sobre a autora
Sari Goldstein é graduada pela Pennsylvania State University, com um diploma em Ciência Política e licenciatura em Psicologia. Ela passou a maior parte dos seus 3,5 anos em uma na faculdade pública, mas esteve um semestre estudando em Barcelona, na Espanha. Depois de graduada ela trabalhou para a Teach for America no sistema escolar da Charlotte-Mecklenburg. Ela leciona literatura em escola de ensino médio, na esperança de continuar a fazer a diferença nas vidas de estudantes em todo o país. Sua paixão é a criação de equidade educacional e altas taxas de alfabetização dentro das escolas Title I.

Receba nossa News