Criando a nova geração de leitores no Brasil

por: Entretanto

A plataforma de leitura interativa da Guten, projetada para melhorar o engajamento e a compreensão de leitura, está fazendo uma enorme diferença para os alunos do ensino fundamental.

A alfabetização no Brasil é um grande problema. Dos 28 milhões de alunos matriculados, 50% obtiveram pontuação abaixo do nível de proficiência básica nos testes de avaliação internacional PISA 2012 e, de acordo com o Instituto Paulo Montenegro, 27% dos adultos brasileiros são analfabetos funcionais.

A compreensão do texto é vital para a alfabetização, porque permite que os leitores se envolvam com a informação e adquiram novos conhecimentos. Quando Danielle Brants percebeu que a compreensão do texto, ou a falta dela, foi o que mais contribuiu para a disparidade de desempenho entre os alunos, ela decidiu agir. “Em vez de apenas olhar para os números”, explica ela, “eu decidi ver isso como uma oportunidade para transformar isso em um negócio social impactante.”
27% dos adultos brasileiros são analfabetos funcionais.

Na época, Brants trabalhava com finanças corporativas em um banco de investimento quando percebeu que queria contribuir mais para o futuro do Brasil. “Por que eu não poderia investir toda a minha energia em um setor como a educação, que precisa desesperadamente de uma injeção de capital humano e inovação?”
Em 2014, ela deixou seu emprego e fundou a Guten, uma plataforma de leitura interativa para alunos do ensino fundamental, projetada para melhorar o engajamento e a compreensão da leitura. Nas palavras de Brants, a missão da Guten é “promover a proficiência em leitura e o engajamento dos estudantes brasileiros, criando uma nova geração de leitores”.

E a chave para ajudar os alunos a se tornarem grandes leitores é a tecnologia sob medida da Guten. O programa “gamifica” o conteúdo como notícias e eventos atuais. A Guten então captura o nível de leitura de cada criança e envia avaliações semanais para o professor do aluno. As avaliações informam aos professores as “principais habilidades de compreensão dos alunos, tais como fazer inferências, distinguir fatos de opiniões e detetar o tema de um texto”. Além de fornecer uma ferramenta para construir a proficiência de leitura, a inclusão de notícias e eventos atuais no conteúdo da Guten, informa os alunos sobre sua própria cultura. A educação é um setor que precisa desesperadamente de uma injeção de capital humano e inovação. Angélica Xavier, professora da 5 ª série que usa a Guten com seus alunos, insiste: “A Guten trouxe o mundo para a nossa escola e permitiu aos nossos alunos ampliar a sua formação cultural ao participar de jogos de leitura, que os estimula e o envolve”.
Os alunos adoram de usar a Guten, tanto que eles até criaram seu próprio verbo em português para descrever o ato de ler na Guten. Os professores anunciam que “é hora de gutar”, ou os alunos podem dizer “eu estou gutando” e assim por diante. Brants ainda alega que os alunos continuam lendo e brincando com a Guten quando chegam em casa.

Até agora, 25.000 alunos em 70 escolas usam a Guten, e em 2015, Brants foi nomeada um dos “10 Innovators Under 35” pelo MIT Technology Review. Brants compartilha que a Guten também assinou um convênio de cooperação com a Universidade de São Paulo para “co-desenvolver capacidades de pesquisa científica em processamento de linguagem natural e instrumentos de aprendizado aplicados à alfabetização”.

Embora esses marcos sejam encorajadores, ainda há muito trabalho a ser feito. Brants e sua equipe estão se concentrando em alcançar os alunos mais alto risco, o que, por coincidência, são também os estudantes demograficamente mais difíceis de se atingir. Sua estratégia é fazer parcerias com agências estatais para que “os alunos com as maiores necessidades de realização possam se beneficiar do produto e de seus resultados de aprendizagem”.

Guten é ainda uma start-up, porém Brants e sua equipe estão confiantes de que a tecnologia da Guten é a chave para fortalecer o domínio da leitura dos alunos. Com a capacidade de personalizar cada nível de leitura do estudante, a Guten democratiza o domínio da leitura, permitindo que as crianças assumam um papel proativo na sociedade.

Este post foi publicado originalmente no blog Unreasonable como parte de sua série de recursos, para os empreendedores que participam do programa de aceleração do Project Literacy, Project Literacy Lab.

Saiba mais sobre o programa acelerador em www.projectliteracylab.com e o trabalho da Unreasonable em www.unreasonable.is

Confira o texto original publicado no site da Pearson Education.

Receba nossa News