Aprender verbos em inglês pode ser fácil e muito divertido

por: Patricia Oliveira

Meu nome é Patricia Oliveira, sou Pedagoga, Mestre pela Universidade de São Paulo (USP) e professora de inglês há mais de 20 anos. Desenvolvi um jogo de verbos em inglês e um livro didático para auxiliar os professores e alunos em sala de aula e em casa. O material é colorido, lúdico e manipulável. Já apresentei essa metodologia em alguns Congressos e no último ICLOC de 2017, onde fiz uma participação especial no curso de Extensão  do Instituto Singularidades/Jul 2017.

 

Por isso, compartilho o vídeo do projeto, acima, com vocês.

 

Tudo começou com minhas observações das  dificuldades que os alunos encontravam em aprender e memorizar as regras gramaticais dos tempos verbais, surgiu a ideia de criar um material, um jogo, que pudesse facilitar essa aprendizagem. Foi aí então, que fui buscar na literatura o que pudesse fazer sentido nesse jogo, o que poderia ser relevante e significativo, fazendo a diferença na memorização e compreensão do que estava sendo aprendido. A literatura me mostrava que as cores são fundamentais no processo de aprendizado, podendo influenciar o nível de atenção e aumentar e a sensibilidade emocional do aluno, descobri também que o sentido do tato é super importante nesse processo. Tocar em algo que estamos aprendendo, manipular um jogo com as próprias mãos pode fazer a diferença pra fixar uma informação ou compreender de maneira mais simples o que está sendo ensinado.   Foi assim então que surgiu o jogo Funteacher, um jogo de “verb tenses”, todo colorido, manipulável, que pode ser utilizado pelos professores no momento em que ele está ensinado os tempos verbais, e pelos alunos, na consolidação da matéria aprendida, o próprio aluno poderá manipular os verbos, jogar com os amigos  e treinar em sala ou em casa.

 

O objetivo deste projeto é fazer com que o aprendizado de gramática e tempos verbais em inglês seja mais fácil, prazeroso e lúdico, através da experiência em aprender com material colorido e manipulável. Também busco proporcionar uma experiência memorável, a partir do contato com um jogo em inglês diversificado, de fácil entendimento e  autoexplicativo.

 

Como funciona?

 

Os pronomes pessoais são azuis, o verbo “to be” no presente e passado são amarelos, os verbos no infinitivo ou presente são cor de rosa. Os mesmos verbos, no presente, encontram-se no passado na cor roxa, e os mesmos verbos do presente e passado, no particípio, estão na cor verde clara.

 

Os verbos auxiliares no presente, “Do” e “Does”, estão em branco e, no passado (“Did”), em laranja.

 

Ainda temos o “Have” e o “Had” em vermelho, o “N’t” formando a negativa, o “Ed”, “EIS”, “ES”, “S”, em preto. O “ING”, em laranja, para formar o contínuos, os Modais, em verde escuro e o “Will” futuro, em azul claro.

 

 

Dessa forma, tanto os professores como os alunos podem brincar, preparando o jogo na lousa branca (verbos com imã) ou no chão, conjugando os verbos (em roda, em pares, em grupos), como, por exemplo, no presente simplepast simple affirmative e interrogative, entre várias outras possibilidades de tempos verbais contida no jogo. Um dos pontos interessantes por exemplo,  seria frisar que quando o verbo está no passado, ele é roxo, mas quando o colocamos na interrogativa usando o DID, o verbo volta para o presente, e muda de cor, vira rosa (vide FIG1). O professor pode fazer um campeonato com 2 jogos, 2 times, e o time que montar a conjugação correta do presente simple em primeiro ganha um ponto, e assim por diante. Outra possibilidade é pedir para os alunos complementarem as frases: ex- I know___ – I know the answer,  She went ______ – She went to school by car, e assim vai.

 

 

Como no jogo podemos encontrar todos os verb tenses: to be (present and past) , Present Simple, Past simple (continuous), Present Perfect, Past perfect (continuous), Will, Modals , nas formas afirmativas, negativas e interrogativas, o jogo serve para ensinar todas as idades de níveis diferentes de inglês (do básico ao avançado).

 

Embasamento

 

Um estudo realizado por Jeniffer Olsen (da Universidade de Carnegie Mellon University, 2010) demonstrou uma forte correlação entre o efeito das cores na performance de tarefas relacionadas com o aprendizado cognitivo. Acredita-se que a cor é a experiência visual mais importante para os seres humanos. (Dzulkifli & Mstafar, 2013). Funciona como um canal de informação poderoso para o sistema cognitivo e desempenha papel significativo na memória (Dzulkifli & Mstafar, 2013).

 

No contexto educacional, as habilidades cognitivas dos alunos referem-se à maneira como eles percebem, prestam atenção, lembram, pensam e compreendem a matéria. É preciso haver estratégias para facilitar o processo de aprendizagem, e as cores podem desempenhar um papel na motivação e memorização dos alunos para aprender. (Dzulkifli & Mstafar, 2013). As cores podem influenciar o nível de atenção e aumentar e a sensibilidade emocional do aluno, esse fato pode ser observado através do desempenho sobre a memória em relação ao assunto estudado. (Farley, 1976) (Pan, 2012) (MacKay & Ahmetzano,2005).

 

O processo de memorização acontece quando recebemos uma informação dos nossos sentidos (tato, audição, visão, , paladar, olfato). O córtex cerebral recebe uma nova informação sensorial (aprender a ler por exemplo) e a partir disso as sinapses formam padrões de comunicação entre os neurônios de diferentes áreas do cérebro. Acontece o que chamamos de captação ou codificação da informação. Dependendo do que seja, essa informação pode se fixar ou na memória de curto prazo ou na memória de longo prazo.

 

O sentido do tato é um dos cinco sentidos, mas, diferentemente dos outros sentidos, ele não é encontrado em uma região específica do corpo, e sim em todas as regiões da pele.

 

Já dei aula para todas as idades e níveis de inglês, do básico ao avançado, desde crianças até adultos, e o jogo foi sempre muito bem avaliado, a compreensão e memorização melhoraram muito com a introdução e prática dos jogos, bem como o desempenho nas avaliações escritas. Um aluno já me disse: “Uau, teacher, eu nunca imaginei que eu poderia pegar em um verbo, que legal”.

 

BIBLIOGRAFIA

http://repository.cmu.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=1079&context=hsshonors

Dzulkifli  M &  Mustafar MF. The Influence of Colour on Memory Performance: A Review. Malays J Med Sci. 2013 Mar; 20(2): 3–9.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3743993/

https://www.researchgate.net/publication/237590109_Emotional_Arousal_and_Memory_Binding_An_Object-Based_Framework

http://memorizacao.info/processo-de-  memorizacao.html

http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/biologia/tato.htm

www.funteacher.net.br

 

Receba nossa News

A Educação é feita da união de conhecimentos. Preencha seu e-mail e receba nossos conteúdos atualizados!

*Não lote sua caixa de e-mail. Nossas newsletters são enviadas quinzenalmente e trazem um resumo dos melhores conteúdos publicados.